Moda

Moda militar e universo do cinema inspiram passarelas de Paris

Paris, 26 jun (EFE).- O estilista israelense Alber Elbaz e o holandês Lucas Ossendrijver, da Lanvin, apresentaram neste domingo na Semana de Moda Masculina de Paris um homem urbano e moderno, amante da cor e das formas mais variadas e originais, com um certo ar guerreiro e militar.

Na última jornada parisiense de coleções masculinas da primavera-verão 2012, os artistas de Lanvin escolheram o edifício circular da Bolsa de Comércio para apresentar suas ideias.

O ponto de partida para estes designers foi a convicção de que "não há ninguém mais sexy que um homem em uniforme", declarou Elbaz à Agência EFE.

Sendo assim, sua coleção começou com uma seleção levemente militar, com um toque medieval, o que seria um Exército, não de soldados, "mas de pessoas, de indivíduos, de homens bonitos, e que usam sandálias no lugar de coturnos", afirmou.

Homens que amam cores e não se vestem apenas de caqui e bege, acrescentou o estilista, em referência aos múltiplos trajes de cabán, jaquetas com calças retas fúcsia, bordeaux, roxo, mostarda, azul e turquesa.

O objetivo foi criar uma coleção como vida própria onde é possível escolher uma infinidade de opções e modelagens.

Já na passarela da grife coreana Songzio, a paleta de cor abusou do branco, preto e cinza e vinho nas jaquetas, coletes longos e túnicas.

Calças até o tornozelo sobre botins branco e preto inspirados no traje tradicional coreano; faixas muito largas e centralizadas, além de peças que deixam o peito descoberto e outras que vão até o pescoço, foram alguns dos pontos especiais da coleção.

A marca Arnys apostou no cinema e na comédia musical para levar para o verão 2012 humor, elegância e excentricidade. A grife imprimiu a leveza e o frescor de sua linha por meio das cores verde menta, amarelo, azul céu e cinza claro.

O destaque da coleção foi o trigo, em homenagem ao clássico filme "O Mágico de Oz".

E o designer japonês Rynshu trouxe para sua passarela um universo futurista monocromático sobre pele de cordeiro, seda, organdi e crepe georgette, com efeitos de relevos e volumes também inspirados pelo cinema, mas em seu caso seguindo o estilo "cyberpunk", como o adotado para 2019 por Ridley Scott em seu mítico longa "Blade Runner" (1982).

Topo