Moda

Lady Gaga ataca críticos de moda e "fundamentalismo" elitista

Reuters
Lady Gaga canta durante show no programa "Good Morning America", no Central Park, em Nova York (27/05/2011) imagem: Reuters

Nova York, 1 set (EFE).- A cantora americana Lady Gaga acusou nesta quinta-feira os críticos de moda, que, segundo sua opinião, promovem um "fundamentalismo crítico extremo, semeando o medo nas esperanças e nos sonhos dos jovens para defender uma elite que impõe tendências de moda e estilo".

"Quando se transforma uma crítica em insulto, e a ferida em lugar de perspicácia e intelecto?", questiona a cantora pop em uma coluna publicada nesta quinta-feira no site da revista "V Magazine". Na mesma coluna, Gaga enfrenta os críticos por formar "elites", alertando que, "se não tomarem cuidado", os jornalistas poderiam ser reduzidos "a bisbilhoteiros".

"É tão fácil dizer que algo é ruim. É tão fácil escrever 'uma só estrela, a odiei, o pior show da temporada'. Contudo, é muito mais difícil considerar e analisar um trabalho com seriedade. Isso requer uma investigação, porém, talvez ninguém esteje interessado em fazer mais isso", assinala a cantora pop em seu texto.

Gaga também se pergunta por que na era digital, quando qualquer um pode escrever uma crítica e postá-la em redes sociais como Facebook e Twitter, alguns supostos especialistas "não assumem um enfoque mais direto e moderno, que poderia se distinguir de um mero indivíduo sentado diante do computador em sua casa".

"O público certamente não é estúpido e, como rainha do Twitter, posso garantir que a quantidade de artistas e intelectuais brilhantes é assombrosa e me serve de inspiração", acrescenta a cantora de 25 anos em entrevista à "V Magazine", que dedica a capa deste mês à atriz espanhola Penélope Cruz.

A artista fez uma referência em particular a Cathy Horyn, jornalista do "The New York Times" que há um ano qualificou a cantora, famosa por seus extravagantes figurinos, como "um patinho feio com grande apelo fantasmagórico", anunciando que tinha deixado de seguí-la no Twitter.

Além do recado, a redatora especializada em moda apontou em junho no jornal nova-iorquino que Lady Gaga parecia "embalsamada", mesmo vestida de Versace em seu novo vídeo "The Edge of Glory".

"Não sei por que Donatella Versace disse que se sentiu honrada, a não ser, claro, que tivesse que elogiar a superestrela. Mas, um vídeo clinicamente morto não ajuda à casa Versace. Seja mais seletiva, patrãozinha Versace", afirmou Cathy no "The New York Times" na ocasião.

Após supostos desprezos como estes, Lady Gaga aborda em sua coluna: "Não fica comprometida a integridade do crítico quando seus artigos são sempre negativos, quando o público já não se surpreende e se acostumou a esperar o cinismo de sempre do mesmo crítico?".

"Para ser justos, patrãozinha Horyn, a pergunta chave é: quando a pretensão da moda é mais importante que sua influência sobre uma geração? Por que decidimos que a opinião de uma só pessoa importa mais que a dos demais?", afirmou Lady Gaga antes de concluir de forma ácida: "A pretensão pertence ao formol e a hierarquia está embalsamada".

Topo