Moda

Museu da Moda do Chile arremata vestido de Amy Winehouse por 50 mil euros

AFP
A estilista "Disaya", criadora do vestido usado por Amy Winehouse na capa do disco "Back to Black" (2007), e a peça arrematada por 50 mil dólares imagem: AFP

Londres - Em um leilão realizado nesta terça-feira (29) em Londres, a Fundação Museu da Moda do Chile arrematou por 50 mil euros o vestido de chiffon que a cantora Amy Winehouse usava na capa de seu álbum "Back To Black", lançado em 2007.

Assinado pela estilista tailandesa Disaya, o vestido de Amy arrecadou mais que o dobro do estimado. Toda a quantia será repassada para a fundação que leva o nome da cantora, que cuida de jovens com problemas de dependência química e álcool.

Responsável pela casa de leilões que realizou a venda, Kerry Taylor explicou à Agência Efe que o grande valor do vestido está em saber que Amy o usava na capa de seu disco mais importante, o último disco de estúdio que gravou antes de morrer.

A cantora britânica faleceu aos 27 anos no último mês de julho.

Taylor reconheceu as "dificuldades de se leiloar um vestido nestas circunstâncias", mas ressaltou que "o importante é saber que o dinheiro será usado para uma boa causa".

Trata-se de um vestido muito simples, um modelo curto, de cor crua e com pequenas listras vermelhas, que contava com um pequeno adorno no decote e um largo cinto de couro vermelho.

A ideia de leiloar a peça partiu da própria Disaya, que depois da morte da cantora ofereceu o modelo para arrecadar fundos para a Fundação Amy Winehouse.

Na época, Amy, que ainda não era tão conhecida, teve dificuldades para encontrar um modelo, já que alguns estilistas se negaram a emprestar um vestido. Após a sessão de fotos na casa do fotógrafo Mischa Richter, a equipe de Winehouse devolveu o vestido para a criadora.

Topo