Moda

Jovens americanos disputam quem tem o suéter mais cafona de Natal

Reprodução
Suéter de Mr. Darcy, do filme "O Diário de Bridget Jones", tem uma rena com nariz vermelho em referência ao Rudolph, do Papai Noel imagem: Reprodução

Cristina García Casado

Washington, 24 dez (EFE).- As comidas do Natal, os brindes de fim de ano, mas principalmente isso: a semana do suéter cafona. Esta roupa dos anos 80 se torna protagonista de festas, concursos e corridas na véspera do Natal. Brechós e sites na internet dedicados a esta exclusiva e divertida peça não dão conta da procura nestes dias.

Os suéters de renas e laços vermelhos já não são um questionável presente de avós e tias, mas uma moda em alta que como quase tudo nos EUA se transformou em uma autêntica competição. Quem não se lembra do constrangimento de Mark Darcy ao encontrar Bridget Jones na festa de Natal usando aquele casaco ridículo em "O Diário de Bridget Jones"?. É exatamente esta peça que hoje é disputada.

Muitos jovens brigam nas semanas antes das festas para ganhar o título de "Suéter mais feio de Natal", um prêmio que agora podem conquistar não só em festas de amigos, mas também em concursos organizados em bairros e até em empresas.

Tirar o suéter natalino do armário teria sido impensável há apenas alguns anos. Mas a febre do 'vintage' chegou à peça que até então estava confinada as festas em família. "É o típico suéter que te presenteavam quando era criança e que só vestia nas férias. Estas peças ficaram pequenas ou não as temos na cidade em que vivemos hoje, por isso compramos novos na internet ou em brechós", explicou a Agência Efe Maggie Morris, uma jovem que organizou esta semana sua primeira "Festa do pijama feio de Natal" na casa que divide com amigos em Washington.

Na véspera da festa Morris enviou uma lembrança obrigatória a todos os convidados: "Proibida a entrada de quem não estiver com um casaco suficientemente feio e cafona. Se não tem um , arranje outro". Na festa, na qual não faltaram outras tradições natalinas como os biscoitos decorados, o eggnog e os jogos de tabuleiro, o elogio mais desejado não era sobre olhos lindos ou um novo novo par de saltos, mas o que todo o mundo queria ouvir era: "Oh céus, está usando o suéter mais feio de todos".
 

A vantagem de adquirir um desses, que custam entre US$ 10 e US$ 30, é que as últimas semanas deram algumas oportunidades de usá-los. O filão do suéter cafona do Natal não passou despercebido para as empresas: uma das academias mais conhecidas de Washington organizou um concurso através do Twitter em que premiará com três meses de inscrição gratuita em algum de seus centros quem enviar a fotografia com o suéter mais feio.

Na rua, nos lugares de trabalho, nas festas de amigos, ou na Internet, o que parece claro é que o entranhável jersey do Natal demorará um tempo em retornar ao que faz não tanto tempo era seu lugar natural: o sofá dos avôs frente à chaminé. 

Topo