Moda

Armani surpreende com cartela de cores cinza e flanela em Milão

Getty Images
24.fev.2014 - Para o Inverno 2014, Giorgio Armani criou uma coleção com apenas três cores: cinza, preto e amarelo limão. Os looks têm formas simplificadas e fáceis de usar, com blazers, calças amplas e curtas, casacos e vestidos soltos imagem: Getty Images

De Roma

O rei da agulha italiana Giorgio Armani, 79, foi o escolhido para encerrar nesta segunda-feira (24) a semana da moda de Milão, e surpreendeu pela qualidade do tingimento da flanela, tecido carro-chefe da próxima coleção, com cinzas claros e escuros, além do verde-limão.

Armani apresentou uma mulher simples, mas elegante, que durante o dia veste jaquetões ou jaquetas curtas tingidas de cinza escuro, em degradê até o cinza claro, que ilumina a peça. Entre composições quase monocromáticas, o tom ácido do verde-limão impactou o público, rompendo a sobriedade do preto e dos cinzas.

As calças largas até o tornozelo com grandes pregas também protagonizaram o desfile da casa italiana no último dia da semana da moda.

http://mulher.uol.com.br/moda/album/2014/02/19/semana-de-moda-de-milao-apresenta-o-inverno-2014-de-marcas-tradicionais-veja-destaques.htm#fotoNav=39

A coleção para a próxima temporada também teve peças para a noite, com vestidos longos tomara-que-caia ou com vertiginosos decotes com estampas cheias de verde, preto e cinza ou vestidos bicolores, que garantiram a sofisticação do desfile.

As pérolas que revestiram os infinitos vestidos e os acessórios também foram um dos pontos fortes do desfile.

Nos pés, as botas, sempre pretas, eram usadas com calças cigarrete. No entanto, para os vestidos, a casa de moda preferiu os sapatos de bico fino e de salto médio.

O desfile do estilista veterano teve ainda certa dose de polêmica, já que Armani criticou a ausência da diretora da revista "Vogue" norte-americana, Anna Wintour, no último dia e pediu que todos os criadores se unissem em protesto contra sua ausência.

Outros dos encarregados de fechar a edição foram os gêmeos canadenses Dean e Dan Caten, as cabeças artísticas da DSquared2, que traduziram com perfeição o espírito cosmopolita, lema da marca.

Na passarela em família, foram vistos de minivestidos sessentistas de corte reto até casacos em camadas e chamativos chapéus de feltro tipo casquete.

Um toque andrógino permeou toda a coleção, que não economizou nas estampas animais, peles de cobra e plumas.

As cores vivas e intensas se combinaram nos conjuntos de uma coleção muito eclética, embora o bege, o preto total e o branco total também tenham marcado presença no desfile.

Após seis dias, a semana da moda de Milão se despediu do público e passou o bastão para Paris, com desfiles que começam nesta terça.

Topo