Moda

Grife é multada em US$ 1,8 milhão pela morte de criança em provador

Reprodução
Criança morreu após ser atingida por um espelho no provador de uma loja Hugo Boss em Bicester, na Inglaterra imagem: Reprodução

De Londres, Inglaterra

Um tribunal no Reino Unido condenou nesta sexta-feira (4) a grife Hugo Boss a pagar uma multa de 1,2 milhão de libras (US$ 1,8 milhões, ou quase R$ 7 milhões) pela morte de uma criança dentro de um provador ao ser atingida um espelho em junho de 2013.

Austen Harrison, de quatro anos, morreu em consequência dos ferimentos causados pela queda do espelho de 120 quilos, com moldura de aço, que não estava preso à parede da loja, determinou a Corte da Corona de Oxford.

A companhia admitiu durante o processo que sua loja na cidade de Bicester, no centro da Inglaterra, não cumpria a legislação de segurança britânica. O tribunal determinou que a empresa foi negligente ao deixar o espelho apoiado na parede "sem nenhum tipo de sujeição". A criança, que estava brincando com o espelho, recebeu atendimento de emergência, mas morreu quatro dias depois no hospital.

O juiz Peter Ross afirmou em sua sentença que o risco que aquele espelho representava "deveria ter sido óbvio para qualquer um" e que era um "milagre" que não tivesse caído até aquele momento. A Hugo Boss emitiu em seu site um comunicado para se desculpar por um acidente que "impactou e entristeceu" a empresa.

"Não há palavras que a companhia possa usar para aliviar de modo algum o enorme sofrimento causado aos pais de Austen. Oferecemos nosso mais sincero arrependimento e nossas desculpas", afirmou a grife. 

Topo