Moda

Coleção de arte marroquina de Yves Saint Laurent será leiloada em Marrakech

Divulgação
Yves Saint Laurent em sua mansão em Marrakech, no Marrocos, onde juntou coleção de 180 objetos imagem: Divulgação

A coleção de 180 objetos antigos de arte marroquina que Yves Saint Laurent e seu companheiro Pierre Bergé montaram ao longo de suas vidas será leiloada dia 31 de outubro, no Palácio Saadi, em Marrakech.

A casa de leilões Artcurial informou em seu site que a coleção, batizada "Uma paixão marroquina", contém objetos de cerâmica, tecidos, joias, móveis e até várias páginas de um exemplar do Corão datado do século XIV, cujo preço de saída está entre seis e oito mil euros (entre R$ 26,4 mil e R$ 35,2 mil).

Todos estes objetos faziam parte do museu do Jardim Majorelle, uma das principais atrações turísticas de Marrakech (com 768 mil visitantes ao ano), antes de ser reconvertido no chamado Museu Berbere e passasse a focar exclusivamente nos objetos de artesanato deste povo nômade do norte da África.

Os lucros obtidos com o leilão serão destinados à Fundação Jardim Majorelle e ao projeto de um futuro Museu Yves Saint Laurent, previsto para 2017, no recinto dos jardins.

O Jardim Majorelle era em princípio um palácio de art-déco construído em 1922 onde o pintor orientalista Jacques Majorelle, falecido em 1962, viveu, e após comprá-lo em 1980, Yves Saint Laurent acrescentou um jardim botânico de espécies raras.

Depois da morte de Saint Laurent em 2008, Pierre Bergé criou uma fundação em Paris para administrar o espaço e abri-lo ao público como um dos poucos monumentos de gestão privada em Marrakech.

Topo