Beleza

Gastos mensais com cabeleireiros sobem 44% entre 2002 e 2008

SÃO PAULO – Estudo aponta que os gastos mensais das famílias brasileiras com serviços de cabeleireiro cresceram 44% entre 2002 e 2008. Foi constatado ainda que quem mais gasta com o setor pertence à classe B.

As informações foram divulgadas nesta quarta-feira (13) pela Fecomercio (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo), que realizou um estudo a partir de dados das duas últimas POF (Pesquisa de Orçamento Familiar) do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), referentes a 2002 e 2008.

Comportamento
O estudo também indicou que os cabeleireiros movimentaram mais de R$ 1 bilhão por mês no ano de 2008. A assessoria técnica da Fecomercio esclareceu que o avanço expressivo dos gastos com corte de cabelo, tintura, lavagem, escova e outros tratamentos refletem a preocupação da população com o visual, comportamento que já está enraizado na cultura brasileira.

Para se ter uma ideia, as famílias brasileiras gastam com esse tipo de serviço praticamente o mesmo do que gastam com o frango. O gasto com o alimento foi apenas R$ 10 milhões superior.

Análise por renda
As famílias que pertencem à classe B foram as que mais gastaram com cabeleireiros, sendo que a despesa totalizou R$ 281 milhões por mês em 2008. Em seguida, vieram as classes D e C, com R$ 236,5 milhões e R$ 208,9 milhões, respectivamente. As classes A e E desembolsaram um pouco menos, R$ 143,3 milhões e R$ 138,3 milhões por mês.

Em termos de crescimento, entre os anos de 2002 e 2008, os gastos das famílias da classe C foram os que mais avançaram (65%). Na sequência, ficaram as classes D, E, B e A, com avanços respectivos de 55%,47%,41% e 16%.

Gastos por mês
A pesquisa também mostrou que, enquanto cada família da classe mais alta (classe A) gasta R$ 64,99 em média com cabeleireiros, a de renda mais baixa (classe E) desembolsa cerca de R$ 6,13, mais de 10 vezes menos que a primeira.

Já as classes B, C e D, gastam em média por mês valores de R$ 39,16, R$ 23,50 e R$ 13,94, cada. No Brasil, a média geral dos gastos ficou em R$ 17,44 ao mês.

Topo