Beleza

Barbeadores e secadores de cabelo já são fabricados com novo selo do Inmetro

Getty Images/Thinkstock
Secadores estão entre os produtos que passam a exigir certificação de qualidade do Inmetro imagem: Getty Images/Thinkstock

SÃO PAULO - Desde o dia 1º de julho deste ano, um grupo de 97 famílias de eletrodomésticos e similares, como máquinas de costura, frigideiras, panelas elétricas, barbeadores, aspiradores de pó, tostadores, grills e bombas de água, já estão sendo fabricados com o selo do Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial).

O novo documento, instituído pela Portaria 371, é baseado em uma norma do IC (International Eletrotechnical Commission) para eletrodomésticos e similares e tem por objetivo aumentar a segurança do usuário desses aparelhos.

Chamada de RAC (Requisitos de Avaliação da Conformidade), a medida só deixou de fora aqueles produtos já inseridos em um RAC específico e os que integram o PBE (Programa Brasileiro de Etiquetagem), que já são avaliados diretamente no programa de eficiência energética, inclusive quanto aos aspectos de segurança.

A partir de 1º de julho de 2012, fabricantes e importadores de aparelhos eletrodomésticos não poderão mais comercializar para o atacado e varejo produtos fora do padrão; após um ano, o comércio atacadista e varejista não poderá mais vender aparelhos eletrodomésticos fora do padrão.

Benefícios
Segundo publicado pela revista da Abinee (Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica), a decisão do Inmetro foi tomada após discussão com as partes impactadas, entre elas, as indústrias do setor, representadas pela Abinee e Eletros (Associação Nacional de Fabricantes de Produtos Eletroeletrônicos).

Para a Eletros, a obrigatoriedade da certificação irá favorecer uma concorrência mais adequada entre os fabricantes nacionais e importados. “Com a certificação compulsória, no mínimo, os requisitos das normas de segurança serão aplicados para a totalidade dos produtos, fazendo com que todos joguem o mesmo jogo. Isso tornará a concorrência mais justa”, diz o presidente da associação, Lourival Kiçula.

O Inmetro tem a mesma opinião. “O mercado interno brasileiro ficará mais fortalecido, com a nova leva de produtos eletrodomésticos que ostentarão o selo de identificação da conformidade”, avalia o diretor de qualidade do Instituto, Alfredo Lobo.

Topo