Desfiles

Jazz e boemia fazem a festa da mulher Tessuti do Verão 2010

FERNANDA SCHIMIDT
Enviada especial ao Rio

A liberdade feminina da década de 20 foi o ponto de partida da coleção da Tessuti, mostrada nesta terça-feira (9), no Fashion Rio.

  • Alexandre Schneider/UOL

    Antes e depois: Viviane Orth abre e fecha o desfile com vestidos semelhantes

Para a estilista Fafá Consenza, a mulher daquela época é a mesma do século 21. Inspirada pelo jazz e a boemia, a grife propôs a imagem feminina que se solta à noite e vai a festas. A coleção começa com o preto total, como a calça corsário preta combinada a blusa com transparência e linha de franjas diagonais desfilada por Drielly Oliveira, que começa a ter introdução do ink, até que o rosa domina a cartela - referência à estilista Elza Schiaparelli.

Uma nova passagem, então, começa a acontecer: o cinza surge em faixa que marca a cintura do conjunto de saia e top de Nathalie Edenburg, ganha espaço em sobreposições com organza e degradês, até predominar nos looks - que misturam plumas à malha bordada com cristais. O fim da brincadeira das cores chega ao vestido todo de canutilhos prateados em franjas - a peça demorou cinco dias para ficar pronta - desfilado por Viviane Orth, que encerra o desfile.

A silhueta é majoritariamente ajustada ao corpo, marcada no quadril, em parte por drapeados, como no tomara-que-caia de Lais Oliveira. Em alguns momentos, a coleção ganha volume com peças mais fluidas, como o vestido cinza de Samira Carvalho, com nós na alça, atrás e na frente.

Topo