Desfiles

Com estreia de Gisele Nasser, Cori reconquista seu estilo comportado e elegante

CAROLINA VASONE
Do prédio da Bienal

Sai Neon, entra a jovem dupla formada por Gisele Nasser e Andrea Ribeiro (ex-assistente de Herchcovitch). E a Cori, enfim, recupera sua alma, o que deve ser revertido na reconquista de suas clientes geralmente mais conservadoras, que gostam de estar elegantes com toques de desenho de moda sem muitas invenções. Se esta continua sendo a proposta da grife, aplausos para as novas estilistas.

Conhecida pelo estilo romântico, Gisele emprestou esta suavidade para o verão da Cori, em drapeados de musseline e gaze vindos por cima da base de vestidos como o tomara-que-caia com estampa suja de tinta azul e amarela. Os caimentos molengas em drapeados e transpassados, apareceram em vários modelos. Em contraposição, a alfaiataria foi usada em paletós e jaquetas, ambos estruturados, numa opção comercial e bem feita da peça que deve continuar em alta no verão, em cima de vestidinhos ou usada com shorts, como propõe a Cori. As cinturas são altas, marcadas com cintos, em calças que formam uma versão do efeito clochard. Os bolsos ganham destaque, tanto nas calças quanto nos vestidos, com frisos e aberturas diferentes.

Em cartela de cores clássica de tons mais frios porém bem acertados (as exceções são o amarelo quase flúo de uma das estampas e o tom de pele queimado para o dourado), o verão 2009/10 da Cori traz adequação ao seu público, com roupas bem-feitas, comerciais, boas apostas de venda (vestidos, jaquetas e paletós), num resultado que parece de acordo com a posição que a grife ocupa no mercado.

Topo