Desfiles

Brasil do café e Paris da Belle Époque inspiram coleção de Reinaldo Lourenço

CAROLINA VASONE
Editora de UOL Estilo

A cultura das fazendas e plantações de café no Brasil e o espírito da Belle Époque adaptado aos trópicos no final do século 19 e começo do 20 ganharam interpretação de moda do século 21 com a escolha de Reinaldo Lourenço dos temas para o seu verão 2009/10, mostrado como sempre na Faap, nesta sexta (19).

  • Alexandre Schneider/UOL

    Ráfia espatulada na alfaiataria mistura aspecto rústico com sofisticação



A idéia de retomar uma época áurea de produção e exportação do café, das fazendas do interior paulista, dos trabalhadores imigrandes, da riqueza gerada pelo negócio e o estilo entre aristocrático e rural de seus senhores e senhoras de fazenda surgiu da própria família do estilista, que trabalhava no ramo do café, afirmou Reinaldo Lourenço nos bastidores do desfile, depois da apresentação.

Aliados à alfaiataria, ao uso de tecidos com texturas preciosas, criados especialmente para a coleção, os temas de Reinaldo Lourenço ganharam interpretação sofisticada, com complexidade na imagem final das roupas graças à mistura de elementos sofisticados com rústicos, como o uso da ráfia nos paletós longos e ajustados, nos shorts de alfaiataria e nos microvestidos justíssimos mais adiante. Espatulada, a ráfia ganhou brilho e aspecto encerado: por um lado remetia às sacas de café, por outro conferia glamour graças ao brilho do material.

Os paletós longos, ajustados e decotados ganhavam volume atrás, assim como os vestidos, com versões diferentes de pregas que faziam efeito de frufrus, remetendo à Belle Époque. Os jacquards com brilho surgiram em vários dos tons da cartela de cores que primou pelo marrom café, intercalado com tons mais claros de verde, rosa bebê, pele e cru pontuados por detalhes em preto. Nos momentos mais vibrantes, vermelho puxado para o cereja.

Na parte dos vestidos de festa, os bordados apareceram geométricos, em losangos, e também em bolinhas que remetiam aos grãos de café, em organza.

Topo