Desfiles

Reserva aposta em verão de homem safado e tricôs espertos

CAROLINA VASONE
Do prédio da Bienal

"Você não vale nada mas eu gosto de você", anunciou a trilha sonora assinada por Jackson Araújo para começar o desfile da marca carioca de moda masculina Reserva. E numa passarela em formato de seta, uma boa coleção de verão foi apresentada, com foco nas estampas sujas inspiradas em fotos de savanas africanas, na acertada cartela de cores, nos bonitos tricôs e no divertido clima de safadeza.

Os cardigãs são o ponto alto da coleção da grife, com aparência gasta primeiro com amarronzados, depois com um cru de fundo para folhagem verde, mais adiante em listras com azul royal e marrom. A estamparia também valorizou as blusas de malha fininha, usadas com calças de cavalo baixo, sempre confortáveis.

A risca de giz apareceu no fundo cru com listras pretas, finas, tanto em peças inteiras quanto em detalhes, graciosa. O xadrez com rosa misturado ao creme e cinza amarronzado também resultou em ótima pedida para rapazes que querem sair da mesmice do streetwear masculino sem exageros.

Num desfile de roupas bem comerciais e acertadas, vale reforçar a esperança de que as peças sejam comercializadas no lugar das camisetas e bermudas totalmente convencionais e muitas vezes sem graça que tomam o lugar da coleção de desfile da Reserva nas lojas. Sem lugar fora da passarela, apenas a apresentação de Fernanda Young, que recitou rapidamente um poema antes do desfile começar, apertada num corselet preto.

Topo