Moda

Natureza ganha moldura urbana em inverno orgânico e arquitetônico de Gloria Coelho

CAROLINA VASONE

Do prédio da Bienal

Placas de energia solar formaram a passarela de Gloria Coelho, que abriu o quarto dia de desfiles do São Paulo Fashion Week no shopping Iguatemi, nesta quarta (20).

  • Alexandre Schneider/ UOL

    Modelo desfila criação da estilista Gloria Coelho. Grife abre quarto dia do SPFW Inverno 2010

Houve atraso de quase uma hora. As roupas, porém, conseguiram recuperar parte do cansaço provocado por tanta espera, num belo desfile com momentos orgânicos e arquitetônicos. A inspiração na natureza resultou em peças urbanas e, na parte final, especialmente femininas.

 

A idéia das repetições, outro tema da coleção, apareceu no desdobramento de criações para a temporada do Verão 2009/10. Agora, porém, a geometria da arquitetura perde espaço para a languidez. Um vestido resume este movimento: o modelo branco, curto, que, com faixas de organza que insinuam, suavemente, o mesmo movimento do vestido emblemático, em cinza, do verão passado.

 

Depois das faixas intercaladas formando listras, algumas subindo para dar volume e formar ombreiras, as franjas e babados de penas de organza apareceram no momento lânguido da coleção. A referência aí eram criaturas aladas e os babadinhos realmente lembravam penugens de aves. Há quem tenha afirmado que esta coleção é menor (em número de looks e em termos criativos) que a anterior, realmente mais conceitual. Ainda assim, garantirá um belo guarda-roupa para o Inverno 2010. 

Topo