Desfiles

Jefferson Kulig faz miscelânea de tecidos e referências nesta temporada

FERNANDA SCHIMIDT

Do prédio da Bienal

Jefferson Kulig lembrou o trabalho na fábrica de tricô dos pais aos 16 anos para criar sua coleção “Mesclar” para o Inverno 2010, apresentado em desfile nesta quinta-feira (21), penúltimo dia de São Paulo Fashion Week.

  • Alexandre Schneider/ UOL

    Modelos desfilam coleção do estilista Jefferson Kulig, calcada em estampas e referências

“Na fábrica, falávamos mesclar quando juntávamos todos os fios que tinham sobrado e usávamos todos juntos”, disse ele, do backstage, antes do desfile.

 

A miscelânea apareceu na união de diferentes tipos de tecidos em uma única peça, como nos três looks iniciais, com sisal tingido, couro, moletom e TK, um tecido tecnológico emborrachado, desenvolvido pelo estilista. Ou ainda na sequência de peças com transparência, em lã, jérsei e tule, formando faixas que estruturavam os ombros.

 

Esta idaia também veio misturada nos looks, como nos sapatos com estampa de ovas de caviar, elástico (segundo ele, para fazer referência à tecnologia) e pele de cobra, combinados a vestidos drapeados com aplicação de paetês, para remeter às escamas de peixes, apresentados em sete versões, como no look final, desfilado por Alícia Kuczman.

 

A cartela de cores priorizou os cinzas e pretos, com pontuais amarelo, vermelho, azul e marrom.
 

Topo