Moda

Ronaldo Fraga dá dicas de como comprar moda divertida e consciente para as crianças

CAROLINA VASONE

Editora de UOL Estilo

Atualizado em 15/03, às 13h40

 

Ronaldo Fraga assina as criações de uma das marcas de moda infantil que desfilaram neste final de semana (12/3 a 14/3) no Fashion Weekend Kids. Embora o nome remeta a uma versão mirim das temporadas de moda adulta, a ideia que Fraga faz de roupa para crianças vai na contramão deste conceito. "Criança tem que se vestir de criança", diz o estilista, que reforça, no mundo infantil, o discurso já aplicado na moda que faz para adultos: não precisar seguir tendências para ser inventivo.

  • Folha Imagem

    O estilista Ronaldo Fraga em foto de 2007

 Neste domingo (14), quando desfilaram as marcas Fit Nina, Mixed Kids e Cris Barros Mini, Fraga também mostrou a coleção da Ronaldo Fraga Filhotes, com tamanhos de 0 a 12 anos, no shopping Iguatemi de São Paulo, onde acontece o evento. Na sexta (12), a Spezzato Teen abriu a programação, que continuou no sábado com Planet Star, VR Kids, 1+1 e Tyrol.

 

Para desenhar  as roupas para crianças, Fraga cita como primeira preocupação o conforto. Para isso, só utiliza tecidos naturais, como o algodão e linho puros. "Também tento usar produtos que tragam noções de sustentabilidade. Não trabalhamos com esamparias que usam metais pesados, por exemplo. Além disso, toda coleção tem sempre uma presença forte da cultura brasileira. É uma maneira de fazer frente à esta cultura de erotização infantil", diz.

  • Folha Imagem

    Casaco infantil e caderno com estampa de bolacha Maria, um clássico divertido da marca de Ronaldo Fraga

Sem abrir mão da conscientização e do papel educativo - sim, dá para as crianças aprenderem com o que vestem -, o criador também quer que os pequenos se divirtam com o guarda-roupa. "Penso numa roupa que a criança tenha prazer em usar e que possa ser uma roupa da qual ela se lembre quando for adulta", conta. Aí, entram as estampas divertidas e coloridas, como a clássica de bolacha Maria, numa das reedições com  nomes brasileiros antigos como Sebastião e Graciliano (o último, aliás, nome do filho dele de 6 anos) no lugar do "Maria". A estampa de mula sem cabeça é outro exemplo de elementos da cultura brasileira incorporados à moda infantil, e que fez sucesso até no Japão, onde a grife é vendida.

 

Ainda que tenha clientes internacionais, um recurso que é totalmente proibido nas roupas de Fraga são os estrangeirismos. "Você nunca vai ver inscrição em inglês na minha marca. Para as minhas crianças eu escrevo em português. É importante você saber que está o tempo inteiro estimulando a auto-estima e a formação da identidade da criança", afirma. Esta, aliás, a principal dica do estilista para os pais, na hora de irem às compras para os filhos. "Lembre que tudo o que você leva a criança a consumir não é só consumo, é educação: onde você leva a criança para comer, se divertir e o que você compra para ela vestir. É um ser que está em formação."

Topo