Moda

Herchcovitch traduz melancolia de Rothko em explosão de cores e geometria

  • Alexandre Schneider/UOL

    Alexandre Herchcovitch apresenta coleção no segundo dia de desfiles do SPFW

Ficha Técnica


Inspiração: Expressionismo abstrato norte-americano com ênfase em Mark Rothko e Barnett Newman. New age, futurismo, action painting
Formas: Versões caídas de mangas bufantes em vários tamanhos, mangas recortadas. Vestidos retos e curtos com volume nos ombros. Pregueados nas costas provocando efeito de "leque aberto". Calças justas e curtas
Cores: Turquesa, vermelho, pink, verde menta, preto, laranja e tom de pele
Estampas: Quadriculado feito a partir de costuras no tecido
Equipe de Estilo: Alexandre Herchcovitch, Antônio Gomes e Stella Sunaga
Styling e Edição: Maurício Ianês
Direção de Desfile: Roberta Marzolla
Beleza: Celso Kamura
Trilha Sonora: Max Blum

Nota da Editora: Uma tela colorida nem sempre é sinônimo de felicidade. Assim se pode pensar da melancolia bonita (e às vezes angustiante) dos quadros de Mark Rothko, um dos expoentes do expressionismo abstrato e importante artista do século 20. Na sua coleção para o Verão 2011, Alexandre Herchcovitch mostrou como um vestido de tom vibrante pode ficar triste, ainda que bonito, com suas mangas numa versão bufante caída, pregas abrindo em leque puxando costas de vestidos também para baixo. Outros artistas inspiraram o estilista como o americano Barnett Newman (da mesma escola de Rothko) e representantes da “action painting“. Neste último caso, respingos na linha Pollock em versão aquarelada estamparam vestidos de uma maneira mais literal. (Carolina Vasone)
 

Topo