Moda

Em 2º dia de SPFW, Reinaldo Lourenço prioriza a roupa, Herchcovitch, o conceito

Alexandre Schneider/UOL
Herchcovitch fecha segundo dia de desfiles do SPFW Inverno 2011 com moda conceitual (29/01/2011) imagem: Alexandre Schneider/UOL

CAROLINA VASONE

Editora de UOL Estilo

No segundo dia do São Paulo Fashion Week, o primeiro e o último desfile apontaram prioridades de moda distintas. Reinaldo Lourenço investiu no conceito, mas a roupa era seu objetivo final. Já Herchcovitch deixou que a força conceitual do tema de sua coleção brilhasse mais do que as roupas em boa parte de seu desfile.

Apresentada na Faap e inspirada num tema glamouroso - a alta-costura e as festas dos  anos 1930 -, a coleção de Reinaldo Lourenço é essencialmente bonita. Roupas que enchem os olhos, que não causam estranhamento: tudo, ali, de alguma maneira já foi visto. Mas isso não é um problema para o designer. Ele usa o conforto do conhecido para reagrupá-lo, reordená-lo, misturá-lo e apresentar o novo seguro, porém altamente desejável.

Já Herchcovitch, mais conceitual e experimental, reforçou esta característica e parece ter segurado as rédeas do gosto pelo belo que andou cultivando nas últimas coleções. Inspirado em rochas e cinzas vulcânicas e vulcões, o Inverno 2011 do estilista trouxe um Herchcovitch menos surpreendente, pelo menos na primeira parte do desfile, com aposta em peças com efeito propositalmente gasto, com tricô rústico em malhas e saia, em casacos e vestidos com desenhos de nervuras (como as das rochas) que faziam brotar o colorido de um tecido costurado nas entranhas de casacos e vestidos.

As formas soltas, com modelagem deslocada, aliadas às aplicações de efeito propositalmente mal-acabado, ao contraste do preto com o amarelo cítrico e a mistura de materiais que não pareciam combinar entre si pareceram causar mais estranhamento do que desejo de consumo. Já a parte final em preto, dos vestidos com capuz, das partes de trás franzidas na cintura, quando a parte da frente é solta, da citação à alfaiataria, intriga, mas também encanta.

Neste último sábado, desfilaram ainda a grife de moda jovem Amapô (a floresta inspira as sobreposições selvagens da grife, com muito mix de estampas e camadas para as mulheres, mais pontual e rigorosa para os homens), a estreante Ghetz, dirigida pelo jovem e promissor Lucas Nascimento, a Ellus, em bem-sucedida troca de desfile por vídeo 3D e a Neon, em coleção cheia de gracinhas performáticas e alguns looks que lembravam figurino.

Neste domingo (30) desfilam Iódice, Juliana Jabour (que estreia no evento), Cori, Osklen e Colcci, com Gisele Bündchen e Ashton Kuschter.

Ficha Técnica de Alexandre Herchcovitch


Inspiração:  Rochas e cinzas vulcânicas
Tecidos: Tricô rústico
Formas: Soltas
Cores: Preto e amarelo cítrico
Estilo: Alexandre Herchcovitch
Stylist: Maurício Ianês
Beleza: Celso Kamura
Trilha Sonora: Max Blum
Cenário: Roberta Marzolla

Topo