Moda

Atualizada em 19.02.2015 15h10

John Galliano é demitido da Christian Dior após dizer que "amava Hitler"

EFE
John Galliano após desfile na semana de moda de Paris (05/03/2010) imagem: EFE

Da Redação

O estilista John Galliano foi demitido da grife Christian Dior nesta terça-feira (1º), informou o jornal francês "Le Monde".

“Em razão do comportamento de caráter particularmente detestável de John Galliano no vídeo divulgado na segunda-feira, a maison Christian Dior decidiu por sua demissão imediata e iniciou o processo de desligamento”, disse a grife em comunicado, em referência às imagens divulgadas pelo tablóide britânico The Sun, em que o estilista dizia “eu amo Hitler”.

A Dior havia suspendido Galliano na sexta-feira, após acusações de racismo por insultos antissemitas que teria proferido a um casal no café La Perle. Foi neste mesmo café, no boêmio bairro do Marrais, em Paris, que o vídeo foi gravado, no fim de 2010.

"Nós repudiamos em absoluto os comentários feitos por John Galliano, que são totalmente incoerentes com os valores da Christian Dior", afirmou o presidente da marca Sidney Toledano em comunicado.

John Galliano ocupava o posto de diretor criativo da grife francesa desde 1996, com a saída de Gianfranco Ferré. 

A última coleção de Galliano para a Dior será apresentada nesta sexta-feira, às 14h30 (horário local), durante a semana de moda de Paris. O estilista também desfilará o Inverno 2011 da marca que leva seu nome no domingo, às 17h. 

Na noite de segunda, a atriz Natalie Portman divulgou comunicado em repúdio aos comentários de Galliano. A vencedora do Oscar de melhor atriz por "Cisne Negro" é atual garota-propaganda do perfume Miss Dior Chérie.

Topo