Moda

Fashionistas se dividem entre silêncio e aposta em sucessor de Galliano

Getty/Divulgação/Montagem UOL
Ricardo Tisci (esq.), da Givenchy, é a aposta de Anna Dello Russo para substituir John Galliano (centro) na Dior. À direita, look da Caven desenhado por Guillaume Henry, outro nome sugerido pelo jornal francês Le Monde para ocupar o cargo imagem: Getty/Divulgação/Montagem UOL

CAROLINA VASONE

Enviada especial a Paris

Muitos preferiram o silêncio. Fashionistas importantes de várias partes do mundo, do norte-americano Andre Leon Talley ("Vogue" América) à francesa Sarah Lerfel (co-criadora da Colette, multimarcas "hype" de Paris), de maneira educada, mas categórica, se recusaram a apontar um possível sucessor de Galliano para a Dior, quando abordados pelo UOL Estilo.

O prestigioso jornal francês "Le Monde" sugeriu Guillaume Henry, diretor criativo da grife francesa Carven desde 2008 (responsável por recuperar seu status fashion), como um dos candidatos ao lugar vazio na Dior. O periódico também publicou uma entrevista com um professor de marketing de moda francês em que o especialista critica a reação da Dior e a chama de "oportunista".

Editora convidada da Vogue Japão, a italiana Anna Dello Russo é uma das poucas personalidades da moda a falar abertamente sobre o assunto. Ela afirmou que não achava que Galliano acreditasse no que havia dito, e que atitudes como a do estilista acontecem quando "você não tem tempo para cuidar da sua alma". Perguntada sobre sua aposta para o cargo de diretor criativo da Dior, a editora destacou o nome de Ricardo Tisci, estilista da Givenchy. Por que? "Porque ele é talentoso e italiano", disse ao UOL Estilo.

Anna Dello Russo contou ainda que conhece um pouco da moda brasileira e elogiou Alexandre Herchcovitch.

Topo