Moda

Compradoras online dão dicas do que evitar e do que apostar em sites de moda

Arquivo pessoal
Leika Morishita compra roupas e sapatos pela internet imagem: Arquivo pessoal

CLAUDIA SILVEIRA
Colaboração para o UOL

A blogueira Paula Pfeifer, 29, mora no Rio Grande do Sul e abastece o guarda-roupa pela internet, principalmente em sites estrangeiros.“Compro pouquíssima roupa de lojas online brasileiras. Prefiro as estrangeiras, são muito mais baratas”, compara a criadora do blog “Sweetest Person”. O comércio eletrônico internacional também atrai a arquiteta Leika Morishita, de 31 anos, que mora em São Paulo. “No Brasil, quase nunca compro roupa e sapato online porque posso ir até a loja e checar de perto”, acredita.

No caso da engenheira de petróleo Roberta Luna, 30, as compras pela internet podem tanto ser em sites nacionais quanto estrangeiros, desde que ela tenha tempo para refletir e não acabe comprando por impulso. “As compras ‘ao vivo’ [na loja] me deixam um pouco em dúvida”, diz Roberta, que mora em Recife.

Apesar do mundo de opções proporcionado pelas compras de roupas e acessórios online, que inclui ainda a adequação do horário da compra a rotina do cliente, as três consumidoras apontam limitações, todas relacionadas ao fato de não poder pegar e testar o produto no corpo antes de comprá-lo. Paula diz que não compra calças jeans. “Sou baixinha e meu tipo de corpo é complicado para encontrar um jeans que vista bem até mesmo em lojas físicas.”

De acordo com o Procon de São Paulo, o consumidor que comprou algo em uma loja virtual tem até sete dias para fazer uma troca gratuitamente ou desistir da compra, a contar do ato do recebimento do produto. Este direito, no entanto, só se aplica às lojas brasileiras. No caso dos sites estrangeiros, o consumidor só poderá exigir o que estiver dentro da política de troca e devolução da loja.

  • Arquivo pessoal

    A blogueira Paula Pfeifer evita comprar calças jeans pela web: "Sou baixinha e meu tipo de corpo é complicado para encontrar jeans que vista bem"

O que não comprar

A pernambucana Roberta foge dos calçados, ainda mais se a compra envolver uma sandália mais sofisticada de salto alto. “É difícil até mesmo quando você vai à loja e prova 30 pares para achar um ou dois que fiquem bem. Se for para comprar sapato online, eu geralmente escolho um modelo básico, como rasteirinha ou sapatilha”, diz.

Para Leika, além dos sapatos de salto alto, não dá para comprar pela internet vestidos de festa ou aqueles modelos que ficam mais sequinhos no corpo. "Quando a roupa veste certinha é complicado mesmo pegando medidas, porque o toque do tecido, quando a roupa é mais justa, também conta”, afirma a arquiteta.

Fita métrica na mão

Compradoras online de longa data, Leika, Paula e Roberta compartilham algumas dicas. A primeira é saber as medidas do corpo ou ter uma fita métrica ao alcance. "A maioria dos sites tem um guia de como tirar medidas do seu corpo", diz Leika. "Presto atenção no corpo da modelo e no tamanho que ela está vestindo. Às vezes, essa informação aparece nos sites”, complementa a arquiteta. Para Roberta, vale saber as medidas do corpo tanto em centímetros como em polegadas, medida padrão nos Estados Unidos.

“Arrisque-se”, sugere Paula. “Fale com alguém que já tenha comprado para ter uma ideia do tamanho. As lojas disponibilizam uma tabela de medidas. É só não ter preguiça de encontrá-la no site e descobrir qual o tamanho mais indicado para você."

  • Arquivo pessoal

    A engenheira de petróleo Roberta Luna mora em Recife e costuma comprar roupas online

No caso de compras de sapatos em sites estrangeiros, a situação fica mais difícil porque a numeração difere de país para país. A padronização brasileira até facilita a compra online por aqui, mas quando cruzamos a fronteira, é preciso pesquisar, comparar os tamanhos. Alguns sites facilitam a vida do consumidor e trazem uma tabela de conversão.

Sites do exterior

Compras em sites estrangeiros caracterizam uma importação perante a Receita Federal. Desta forma, o comprador pode ter de pagar imposto no ato do recebimento do produto. Porém, há algumas exceções. Livros, revistas e periódicos impressos em papel estão isentos de taxas, assim como compras de até US$ 50 entre pessoas físicas, desde que sejam transportadas pelo serviço postal.

Para as compras acima dos 50 dólares, é cobrado um imposto de 60% sobre o valor do produto, acrescido do frete e, caso possua, do seguro do transporte. De acordo com a Receita Federal, quando a remessa é declarada como presente, o imposto é cobrado sobre o valor declarado na postagem, desde que ele seja compatível com o cobrado pelo mercado.

Compras internacionais não combinam com ansiedade. Às vezes, chega em duas semanas, às vezes, demora três meses.”

Roberta Luna, 30, engenheira de petróleo

Existem duas formas de pagar este imposto. Para compras de até US$ 500 e que são entregues pelos Correios, a taxa é paga no momento da retirada do produto na agência. Quando a entrega é feita por uma empresa de transporte internacional expresso, também conhecida como “courier”, o pagamento é feito à empresa, que repassa à Receita Federal. Nos casos em que o valor da compra é acima dos US$ 500, é preciso apresentar uma Declaração Simplificada de Importação (DSI), que pode ser obtida junto à Receita Federal.

Para alguns consumidores, principalmente aqueles que não pagam imposto, o problema maior é a demora para receber um produto comprado pela internet em algum site estrangeiro. A dica da blogueira Paula é desencanar. “Compras internacionais não combinam com ansiedade. No início de novembro recebi pacotes que comprei no final de julho. É uma questão de sorte. Às vezes, chega em duas semanas, às vezes, demora três meses.”

Abaixo, veja uma seleção de dez endereços de "e-commerces" de moda, brasileiros e estrangeiros que entregam no Brasil.

VEJA 10 SUGESTÕES DE LOJAS VIRTUAIS DE MODA NO BRASIL E NO EXTERIOR

www.e-closet.com.brUm dos primeiros “e-commerces” de moda do Brasil, trabalha com grandes marcas, incluindo os estilistas nacionais. Para compras com entrega na capital paulista, o envio é feito no mesmo dia, desde que a compra tenha sido aprovada até as 13h (exceto feriados e fins de semana).
www.dafiti.com.brSite de moda feminina, masculina e infantil. O forte mesmo é a seção de sapatos, que é bem variada. A loja oferece 30 dias para devolução, além de frete e troca grátis para todo o Brasil.
www.farfetch.com.br“E-commerce” europeu de multimarcas que montou filial no Brasil e oferece os principais nomes da moda nacional e internacional. As taxas de importação já estão incluídas no preço do produto em reais.
www.oqvestir.com.brLoja on-line que trabalha com mais de 50 marcas de roupas e acessórios selecionados para aliar o conceito fashion à moda para a vida real. O site traz ainda dicas de estilo e consultoria sobre como combinar peças.
www.privalia.comClube on-line de compras que oferece peças de grife com descontos que podem chegar a 70%. As campanhas começam às 7h (horário de Brasília) e duram até quatro dias. O prazo médio de envios é entre 25 e 30 dias, contados a partir do término da campanha.
www.asos.com“E-commerce” de roupas, acessórios e produtos de beleza sediado no Reino Unido e com mais de 50 mil produtos no estoque. A loja é voltada para o consumidor entre 16 e 34 anos e entrega para mais de 190 países.
www.modcloth.comSite com sede nos Estados Unidos, é especializado em moda feminina com pegada indie e retrô. Destaque ainda para a seção de acessórios e de decoração para a casa. A loja é queridinha da pernambucana Roberta Luna.
www.net-a-porter.comLançado em 2000, este "e-commerce" está entre os maiores do mundo e se diferencia por apresentar os produtos como em uma revista de moda. Os pedidos para o Brasil são faturados em dólares, e os preços não incluem impostos. Os tributos são calculados sobre o valor total da mercadoria e das taxas de envio.
www.pixiemarket.comA Pixie Market é uma butique sediada em Nova York, mas que vende on-line com entrega para o Brasil. É um dos sites mais frequentados pela arquiteta Leika Morishita para comprar roupas e acessórios diversos.
www.urbanoutfitters.comVende roupas, acessórios para a casa e, segundo Leika, é uma boa opção para comprar sapatos. Trabalha com várias marcas, desde as mais descoladas até as mais básicas.

 

Topo