Moda

Pernas de Carolina Dieckmann surpreendem fashionistas

Alexandre Schneider/UOL
Pernas marombadas de Carolina Dieckmann chamaram a atenção negativamente da plateia da TNG imagem: Alexandre Schneider/UOL

Carolina Vasone

Do UOL, no Rio

Na televisão, não há como tirar os olhos da imagem de Carolina Dieckman personificada na “periguete” Teodora, toda vez que aparece em “Fina Estampa”, a novela das nove da Globo: barriga sarada, pernas torneadas, cabelão loiro bem cuidado e cílios de boneca conseguidos graças a camadas e mais camadas de rímel. Nas fotos de publicações de celebridades, quando é flagrada na praia, a boa forma da atriz também impressiona. Na passarela, o efeito foi de surpresa. E não necessariamente boa.

Convidada de honra da TNG, a presença de Carolina era aguardadíssima, mesmo para os que preferem os desfiles às novelas. Afinal, todo mundo quer ver mulher bonita de perto, não? Enfeita e alegra o ambiente, faz bem para os olhos, melhora o humor.
 

Foi então com espanto que a plateia de moda recebeu aquelas pernas em shorts minúsculos na abertura do desfile da TNG, na última quarta (11). E não se trata de mania de magreza, não. Todos esperavam – especialmente as mulheres da moda, um pouco cansadas de analisarem roupas em garotas irreais, com vinte centímetros a mais de altura e quinze quilos a menos do que as moças da “vida real” – uma beldade curvilínea, uma espécie de “pin up” moderna. No lugar disso, coxas de uma “mulher fruta” se impuseram aos olhos. “Pensei que ela fosse mais longilínea”, comentou uma. De fato, a televisão favorece as mais baixas, caso da atriz, dando a ilusão de que são mais altas. “As coxas estão muito grossas, desproporcionais para a altura dela”, analisava outro (homem e heterossexual, ou seja, não podia ser inveja). E era verdade.

As coxas excessivamente malhadas, quase hiper atrofiadas, trouxeram à tona um outro tipo de obsessão estética: se na moda o problema é a busca pela magreza, na televisão de entretenimento (novelas, programas de auditório, etc), a mania pelo corpo excessivamente “marombado” também provoca resultados estéticos, digamos, demasiados. Será parte da composição da personagem? Se quiser opinar sobre o assunto, você pode usar o campo de comentários desta reportagem.

Topo