Moda

Top-ativista, canadense Coco Rocha quer camarins livres de fotógrafos

Manuela Scarpa/Foto Rio News
Coco Rocha posa em frente à vitrine de Diesel, em São Paulo. Na foto ao fundo, campanha da top para a marca imagem: Manuela Scarpa/Foto Rio News

Fernanda Schimidt

Do UOL, em São Paulo

"Queremos tirar os fotógrafos dos camarins na próxima semana de Nova York", disse a modelo canadense Coco Rocha, uma das principais representantes da Aliança de Modelos, criada em fevereiro nos EUA para regulamentar a profissão.

A top esteve na reinauguração da loja-conceito da Diesel, no bairro dos Jardins, em São Paulo, na noite desta quinta-feira (19) e falou rapidamente com a imprensa. Coco, 23, é a garota-propaganda da grife conhecida pelo jeanswear e voz ativa por melhores condições de trabalho - algo raro entre as modelos que atingiram o sucesso.

Para a modelo, a presença de fotógrafos nos camarins dos desfiles é uma das questões mais importantes e urgentes. "Queremos manter a nossa privacidade durante as trocas de roupas", explicou. Em parceria com o conselho de moda norte-americana, o CFDA, a Aliança quer se certificar de que o ambiente de trabalho seja saudável e que as modelos não trabalhem longas jornadas até tarde da noite já na próxima temporada, entre 6 e 13 de setembro.

Nos últimos anos, a canadense admitiu ter sofrido pressão da indústria da moda em relação ao seu peso, afirmou publicamente não se sentir confortável trabalhando para Terry Richardson - famoso fotógrafo, envolvido em polêmicas de abusos sexuais - e criticou uma revista brasileira de moda por ter alterado digitalmente uma foto que estampava a capa da publicação.

Suas opiniões ganham eco nas redes sociais como Twitter e Tumblr, ferramentas constantemente utilizadas pela modelo, mas sempre de maneira pensada, afirmou ela. "Sinto que quando você não fala nada para as pessoas, é aí que elas tentam tirar mais de você. Assim, posso falar o que e quanto quero sobre mim", disse.

Além do lado ativista na moda, Coco Rocha também é conhecida pelo trabalho de filantropia. Em apoio às vítimas do tráfico de pessoas no Cambodia, ela desenhou uma coleção de joias para a ONG Senhoa. Ao lado do marido, James Conran, e da modelo e amiga Behati Prinsloo, produziu o documentário "Cartas para o Haiti" com o intuito de arrecadar fundos para o país caribenho após o terremoto de 2010.

Esta é a terceira vez que a modelo visita o Brasil. Em 2008, ela desfilou para a Zoomp, no São Paulo Fashion Week, e no ano seguinte fotografou uma campanha para a catarinense Lança Perfume. Mas só agora conseguiu aproveitar um pouco a capital paulista, com tempo para um almoço com a top Caroline Trentini e o fotógrafo Fábio Bartelt, seus amigos. Coco chegou acompanhada pelo marido e recebeu uma visita inesperada da mãe, Juanita, que é comissária de bordo da Air Canada e coincidentemente havia desembarcado na cidade. 

  • Manuela Scarpa/Foto RioNews

    Coco Rocha ao lado do marido, James Conran, e da mãe, Juanita Rocha, na loja da Diesel em São Paulo (19/07/2012)

Topo