Moda

Vendas de acessórios desafiam crise mundial e deixam roupas para trás

Simone S. Oliver

Do New York Times

Há dez anos, os alunos de moda queriam imitar acima de tudo estilistas como Marc Jacobs, Diane von Furstenberg e Michael Kors.

Atualmente, os exemplos a serem seguidos incluem Rebecca Minkoff, Pamela Amor ou Brian Atwood -todos eles designers de acessórios.

Em meio à estagnação econômica, "o negócio de acessórios está mais saudável do que o setor de vestuário", disse Marshal Cohen, analista-chefe de varejo do NPD Group.

"A moda feminina há 18 meses opera com números negativos. Nos últimos seis meses, os acessórios estão 2% acima em relação aos 12 meses anteriores. Pode não parecer muito, mas no setor de moda isso é ótimo."

Sapatos, malas, pequenos artigos em couro e óculos estão indo especialmente bem, acrescentou ele.

Clara Yoo, designer-chefe de bolsas e acessórios da Limited Brands, formou-se em 2008 pela Parsons New School for Design, em Nova York. "Quando eu fiz disciplinas de design de acessórios lá, havia cinco alunos", disse ela. "Agora, é incrível ver como muitos alunos estão fazendo."

Estilistas de "prêt-à-porter", como Narciso Rodriguez e Monique Lhuillier, estão lançando linhas de calçados, e Victoria Beckham criou uma linha de óculos.

O Conselho dos Acessórios faz eventos especiais nos quais coloca estilistas iniciantes em contato com os varejistas, para ajudar quem está atrás da sua primeira encomenda para uma loja, disse Karen Giberson, presidente da entidade setorial.

A ascensão de sites de comércio eletrônico e compras sociais, como Etsy, BaubleBar e AHALife, ajuda, em parte porque os acessórios, ao contrário do vestuário, não precisam de vários tamanhos. "As bijuterias geralmente são tamanho único", disse ela, "e também são muito compactas e leves, o que é incrivelmente útil para agilizar os processos e gastos de atendimento."

A velha mídia também colabora. No ano passado, o programa de TV "Project Runway" lançou o "Project Accessory", um subproduto. "Programas como esse estão expondo outras partes da indústria e tornando-a interessante para os alunos", disse Rachel Fishbein, formada pelo Fashion Institute of Technology, em Nova York, e designer de calçados da Simply Vera e Dana Buchman. Em junho, a Hearst anunciou que a revista "Elle Accessories" vai voltar em outubro.

"Essa é uma indicação de como os acessórios são importantes", disse Scott Schramm, vice-presidente e gerente-geral de mercadorias da Henri Bendel, que surpreendeu muita gente em 2009 ao anunciar que não iria mais vender roupas, só acessórios.

Na Parsons, professores como Simon Collins, reitor da Escola de Moda, estão dando aulas sobre assuntos como tratamento do couro, a criação para públicos diversos e formas de reduzir os preços.

A escola realiza competições nas quais os prêmios incluem estágios ou a produção de protótipos em marcas de luxos.

Joel Harding, vencedor do concurso Coach no ano passado na Parsons, escreveu no blog da faculdade que ele alterou seu foco acadêmico da moda feminina para o design de acessórios: "O design de acessórios é uma área totalmente nova dentro do departamento de moda, é um momento muito emocionante e inovador".

Em uma tarde há alguns dias, no calor sufocante de um ateliê da Parsons, Carly Ellis, 25, oriunda de Liverpool (Reino Unido), e outros recém-formados passaram horas matutando, rabiscando e prendendo colares, chapéus e cintos, preparando-se para a Semana de Moda de Nova York, em setembro.

"Cada peça é importante demais", diz Ellis. "Os acessórios são tão importantes quanto as roupas."

Topo