Moda

Correntes, anéis e pulseiras estão em alta entre homens; saiba usar

Divulgação
As correntes são acessórios sempre presentes no figurino dos homens de "Avenida Brasil". Na montagem, Jorginho (Cauã Reymond), Max (Marcelo Novaes) e Tufão (Murilo Benicio) mostram as suas peças imagem: Divulgação

Ricardo Oliveros

Do UOL, em São Paulo

O uso de joias ou semijoias e até bijuterias entre os homens é um assunto polêmico. Muitos acham cafona, enquanto outros já aderiram à moda. Basta olhar os personagens masculinos de “Avenida Brasil”, ou prestar atenção nas ruas e bares para ver a quantidade de marmanjos que têm usado correntes, anéis e pulseiras sem nenhum constrangimento. A coluna Hora H desta semana mostra que é possível usar estes acessórios de uma forma bacana e mostra como investir nas joias.

Adornos fazem parte da história do homem

O uso de algum tipo de adorno por homens faz parte da história da humanidade. O conceito de um cocar para um índio, por exemplo, não é diferente de uma joia usada por um jogador de futebol ou um rapper para indicar sua ascensão social.  São elementos ao mesmo tempo de diferenciação e de aproximação com aquilo que eles representam ou querem representar.

“O objeto de adorno masculino, à parte de todas as manifestações que cada indivíduo apropria para si, vem referenciar-se em tribos, agora chamadas de tribos urbanas. O homem tem a necessidade de se diferenciar dos restantes grupos e de se identificar com aqueles com quem pretende ter um vínculo de identidade”, escreve Carla Susana Mendes Silva Rodrigues, do Centro de Investigação em Arquitectura, Urbanismo e Design (CIAUD) de Portugal, em seu texto “Objeto de adorno: o consumo no masculino” de 2010.

Já que historicamente o adorno faz parte da vida do homem, mesmo que simplificado pela vida moderna, nos resta saber como usá-lo para não comunicar de forma errônea a imagem que queremos transmitir.

A diferença entre joia, semijoia e bijuteria

O primeiro passo para quem quer usar acessórios como correntes, anéis e pulseiras é saber diferenciar as categorias em que se encaixam, além do preço e do desenho. Peças feitas com materiais nobres e legítimos como ouro e a prata são consideradas joias. Em se tratando de semijoias, consideramos sempre a alta camada de metal nobre, garantia contra oxidação e peças antialérgicas, uma vez que não há aplicação de níquel nas camadas intermediárias. As bijuterias não têm garantia contra oxidação, possuem baixa ou nenhuma camada de metal nobre e podem conter níquel no processo de folheação, o que pode causar alergias. Então, use sob sua conta e risco.

Simplicidade é a palavra de ordem

Quanto se trata de acessórios masculinos quanto mais simples for o desenho da peça, melhor o resultado. Nada de investir em coisas muito exóticas, usar diferentes tipos de correntes ao mesmo tempo ou fazer combinações de anéis e pulseiras, a não ser que você pertença a universos em que esta mistura é permitida. Procure usar uma peça de cada vez, que já está de bom tamanho.

Como usar colares e pingentes

O uso de pingentes como crucifixo, medalhas e plaquetas podem ser boas opções, desde que não tenham muitos detalhes. Neste caso, use sob o colarinho em ocasiões casuais e nem pensar em abrir os botões da camisa até o peito e mostrar aquela cruz enorme, que não pega nada bem. Se estiver de camiseta, dá para usar por fora da gola, em situações informais, desde que as dimensões sejam equilibradas, ou seja, nem muito fininho (que dá a impressão de delicado demais), nem muito grosso.

Como usar anéis

Anéis seguem a mesma regra. Antigamente, profissionais como médicos, engenheiros e advogados usavam anéis correspondentes à sua profissão, mas isso caiu em desuso. Aqueles com desenhos simples, em metal prateado, no máximo com desenhos geométricos, são boas opções para quem não usa aliança e quer optar por esta peça como acessório.

Como usar pulseiras

As pulseiras que fizeram sucesso na década de 1980, com corrente e plaqueta, estão de volta. Cuidado para não combiná-las com relógio, para não dar a impressão de ser um personagem como Sinhozinho Malta, marcante na novela "Roque Santeiro", da Globo. As que misturam materiais como couro e metal com desenho geométrico são opções para uso casual.

Como usar abotoaduras de forma moderna

Uma joia que não tem contraindicação e que também está em alta são as abotoaduras. Se antes elas eram usadas somente de modo formal, hoje podem combinar com camisas e coletes, sem a necessidade de gravata. Os desenhos simples, com inscrições em preto ou pedras negras, podem ser ótimas para finalizar um conjunto com elegância. 

Topo