Moda

Disputa presidencial nos EUA dá aula aos homens de como se vestir e o que evitar

AFP
Na disputa de estilo entre os candidatos na eleição presidencial dos Estados Unidos, Barack Obama e Paul Ryan levaram a melhor imagem: AFP

Ricardo Oliveros

Do UOL, em São Paulo

Roupa não ganha eleição, mas ajuda muito na formação de uma imagem. De lados completamente opostos em termos políticos na eleição para a presidência dos Estados Unidos, os candidator têm pouca diferença na hora de se vestir. Mas são os detalhes que se mostram decisivos para a vitória do estilo de Barack Obama sobre Mitt Romney, assim como de Paul Ryan, candidato a vice pelo Partido Republicano, sobre Joe Biden, concorrente democrata.

De qualquer forma, todos são bons exemplos de inspiração para o homem. Ao analisar seus trajes, encontram-se boas dicas de como se vestir de maneira clássica, tanto em situações formais, quanto em casuais, além de aprender a evitar alguns erros básicos.


Barack Obama, atual presidente dos Estados Unidos e candidato a reeleição pelo Partido Democrata, é ofuscado em termos de estilo por sua mulher Michelle, que sempre teve os holofotes neste quesito. Apesar de escorregar quando o assunto é jeans e ultimamente aparecer com nó de gravata frouxa, o que resulta num ar de cansaço e desleixo, o candidato transita bem pelos estilos formais e casuais, com a ajuda de seu porte atlético.

O uso de roupas casuais por presidentes é recente. John F. Kennedy, eleito em 1960, foi o primeiro ocupante da Casa Branca, sede do governo americano, a aparecer em público com roupas casuais. Além dos ternos feitos à mão, nas férias e em finais de semana era visto com camisas polos combinadas a calças cáqui ou brancas. De lá para cá, muita coisa mudou em termos de estilo dentro da política. As peças casuais se transformaram num meio para os candidatos darem a impressão de que são mais acessíveis e estão mais perto dos eleitores. Esta tática tem sido empregada tanto por Obama, quanto pelo seu oponente, o republicano Mitt Romney.

Mitt Romney não apresenta grandes erros no seu visual, mas peca na pouca variação de cores do costume (paletó e calça) e ao usar nós de gravatas menos encorpados, que poderiam favorecer mais seu conjunto. Para um conservador, Romney tem usado muito bem roupas casuais, especialmente camisas quadriculadas e calças cáqui. No quesito jeans, ganhou longe de Obama. Assim como o atual presidente, tem se apresentado de camisa com gravata e sem paletó. Essa combinação funciona em uma reunião fechada, mas em aparições públicas é melhor optar por usar só a camisa ou a gravata com o paletó.

Enquanto isso, o republicano candidato a vice, Paul Ryan, bate um bolão em termos de estilo e usa muito bem sua aparência para conquistar votos entre eleitores jovens, mesmo que suas ideias sejam até mais conservadoras do que as de seu companheiro de chapa. Ele sabe usar gravatas com cores fortes, em nós impecáveis, assim como costumes (paletó e calça) sem gravata. Outro item que não ficou fora de seu figurino é a camisa quadriculada, hit entre os candidatos. Ryan se arrisca no xadrez em vermelho e branco, o que o deixa elegante e moderno ao mesmo tempo.

Joe Biden, vice de Obama, é conhecido por suas inúmeras gafes, mas se sai muito bem em seu estilo clássico. No balanço geral, perdeu para Ryan por não transitar bem pelo terreno casual. Se por um lado Ryan atualiza a imagem de Romney, por outro Biden dá o tom de formalidade a Obama. E isso tudo pode ser observado apenas pelas escolhas de trajes. 

Topo