Moda

Sucesso como "capa do Batman" no mensalão, becas e togas são tradição; saiba por quê

Roberto Jayme/UOL
Os ministros Ricardo Lewandowski (à esq.) e Joaquim Barbosa entram no plenário para julgamento do mensalão usando togas imagem: Roberto Jayme/UOL

Do UOL, em São Paulo

Com o julgamento do mensalão quase no fim, muita gente ainda pode estar se perguntando o motivo dos ministros e defensores do Supremo Tribunal Federal (STF) usarem capas pretas sobre os ombros.

Estas peças são chamadas de togas e becas e embora ambas sejam muito parecidas, existe uma diferença primordial entre elas: as togas são para magistrados, ou seja, apenas os juízes podem vesti-las. Já a beca é usada pelos advogados. procuradores e membros do Ministério Público. Assim como qualquer tipo de vestimenta, a toga tem uma linguagem própria e o que mantém a tradição de seu uso viva até hoje é a simbologia de poder, prestígio e respeito.
 
  • Sessão de julgamento do mensalão no Supremo Tribunal Federal

Para explicar o que são as togas, é preciso voltar alguns séculos na história. Com origem na Roma Antiga (período antes de Cristo), ela representa um dos principais símbolos da magistratura e serve para reforçar a autoridade e imparcialidade dos ministros. 
 
A toga - ou veste talar, que significa “roupa comprida até o tornozelo” - usada pelos senadores e ministros romanos era inicialmente vermelha, porém a cor foi instituída como um privilégio da realeza e os juízes então passaram a utilizar o preto, uma cor definida pela ausência de luz.  O preto absorve os raios de luz, mas não reflete nenhum, e cria um analogia com a figura do juiz, que deve ser imparcial. 
 
Apesar de às vezes seu uso ser ignorado em juízos de primeiro grau, ele é obrigatório no regimento interno do Supremo Tribunal Federal e é exigido inclusive no dia a dia, quando se usa uma capa mais curta e informal, chamada de toga de verão. Não há punição estabelecida para quem não usar a vestimenta, pois é presumido que nenhum ministro desrespeite a regra.
 
  • Reprodução/Facebook

    Após as condenações no mensalão, montagens comparando o ministro e sua toga preta com o superherói Batman começaram a se espalhar pelas redes sociais

 
As togas de solenidades usadas pelos ministros são geralmente feitas em cetim de seda e confeccionadas sob medida por alfaiates participantes de um processo de licitação de acordo com as necessidades do tribunal. 
 
No Supremo há um armário repleto de becas disponíveis para os advogados, mas alguns preferem levar a sua, que pode ser comprada até pela internet, mas os preços costumam ser sob encomenda.
 
A atenção dada ao julgamento do mensalão em todo o país trouxe também o humor das charges, com direito a diversas delas tendo foco justamente nestas peças e montagens curiosas com o ministro Joaquim Barbosa como Batman graças à capa preta.
  • Angeli/Folha

    Charge criada em janeiro por Angeli aborda o judiciário com foco nas becas e togas

Topo