Moda

Tecnologia ajuda as mulheres a encontrar o sutiã perfeito

Reprodução
Chamada no site da True&Co diz: "faça a prova online em 2 minutos, sem fita métrica" imagem: Reprodução

Do The New York Times

Lojas online como HerRoom, True&Co e algumas gigantes do ramo como Maidenform estão tentando reinventar o modo como se compra sutiãs, peça responsável por quase a metade do mercado anual de lingerie, de US$14 bilhões (R$ 28 bilhões).

Os varejistas estão lutando para afastar as mulheres dos provadores das lojas e convencê-las que é mais conveniente e pessoal usar novas ferramentas online para encontrar os sutiãs com melhor caimento.

Cair bem é tão fundamental para as mulheres que 20 mil delas já haviam se registrado 36 horas depois de a True&Co, um novo projeto de varejo de San Francisco para moda íntima, inaugurar seu site, em maio passado. Duas antigas funcionárias da Microsoft desenvolveram um método computadorizado para ligar as clientes aos respectivos e corretos tamanhos de sutiã. 

“É uma das compras mais emocionais que existem”, disse Michelle Lam, uma destas antigas funcionárias e hoje CEO da True&Co. “Há muitas questões com o corpo na hora de comprar um sutiã”.

Lojas especializadas, junto com outlets e sites, estão sugando as vendas de sutiãs dos revendedores tradicionais, como as lojas de departamento. Victoria’s Secret e Soma Intimates (da Chico’s), que também possuem sites, ganharam US$3,6 bilhões (R$ 7,3 bilhões) com a vendas de sutiãs no ano passado, segundo pesquisa do grupo NPD.

As lojas de departamento minguaram com US$1,1 bilhão (R$ 2,2 bilhões) em vendas, segundo números da NPD. Vendas online ainda são uma pequena porcentagem das vendas de roupas íntimas, estima a NPD. Até agora, em 2012, as vendas aumentaram 1,5% nos outlets, nos negociantes do atacado e na internet, segundo os números da NPD.

“O e-commerce está se tornando mais popular porque as mulheres não querem passar pela experiência que tinham anteriormente nas lojas”, disse Susan Anderson, analista de varejo para a Citi Research. “As lojas de departamentos não mudam suas seções de roupas íntimas há décadas e os consumidores agora estão mais propensos a comprar online”.

No ano passado, os sutiãs foram responsáveis por 45,8% das vendas das peças íntimas, que também incluem calcinhas e modeladores, de acordo com os números do NPD. O preço médio de um sutiã é cerca de US$ 65 (R$ 132) em lojas mais caras e US$13,90 (R$ 28,20) entre as lojas populares, descobriu o Citi Research.

Lojas online estão tentando resolver as constantes reclamações das mulheres sobre a experiência de comprar sutiãs em lojas. Elas lamentam a longa espera por atendimento nas vendas e também o fracasso em encontrar um sutiã que caia bem e fique bonito. Usando pesquisas e questionários, os vendedores online estão descobrindo detalhes sobre os tipos de corpos, cruciais para que o sutiã fique bom, mas que não são facilmente compartilhados com vendedores.

  • Divulgação

    Questionário no HerRoom, pergunta informações como idade, altura e se a mulher possui implantes de silicone ou se está amamentando

“Alguns varejistas têm conseguido capturar o lado fashion disso tudo”, disse Marshal Cohen, analista de varejo do NPD Group. “Mas a internet fornece um estoque ilimitado de produtos, além de uma mais ampla variedade de estilos na hora de encontrar um sutiã que caia bem.”
Questionários online, como o “Know Your Breasts Bra Finder” (“Conheça seus Seios Buscador de Sutiãs”) do herroom.com, reunem bem mais do que meia dúzia de perguntas, incluindo ali o tamanho do espaço entre os seios, volume, forma, posição, o quanto o esterno é proeminente, e o quanto os ombros são tortos ou caídos.

“Quero acabar com a penúria de comprar um sutiã”, disse Tomima Edmark, fundadora e CEO do HerRoom. A empresa de Dallas nasceu em 1998 e tem mais de 200 marcas, entre elas Vanity Fair, Wacoal e Spanx.
“A indústria trabalha com certos tamanhos e cores”, ela disse. “A variação geralmente fica entre o 32B e o 38D, tamanhos que a maioria das confecções produz. Outros tamanhos podem ser mais difíceis de encontrar, e não há uma medida padrão para o bojo”.

Tomima, que também criou o acessórios para cabelo TopsyTail, passou anos reunindo informações de peritos em moldagem de sutiãs, estilistas e produtores, além do feedback de clientes. O novo estudo sobre seios, ela disse, “vai ajudar as mulheres a explorar os atributos específicos de seus seios – muitos dos quais elas provavelmente nunca imaginaram ter – para encontrar o tamanho perfeito”.

Sites como Soma e Victoria’s Secret e Maidenform’s Bra Finder requerem uma fita métrica, mas o HerRoom e True&Co se concentram na auto-avaliação da consumidora. True&Co, por exemplo, pergunta sobre o formato dos seios, tamanho de roupa, tamanho e conforto do sutiã que ela está vestindo.

No ano passado, Michelle Lam e outra antiga funcionária da Microsoft, Aarthi Ramamurthy, estavam conversando sobre a experiência de comprar sutiãs, e concluíram que o mercado estava pronto para um método mais científico de compras.
“Em cada lugar que experimentei, vestia um número diferente”, disse Aarthi.

Depois de provas e consultas com peritos em medidas – “o tipo que sabe qual o seu tamanho só de bater o olho”, disse Michelle – a dupla desenvolveu um algoritmo que oferece opções de sutiãs passando pelas linhas de diferentes marcas, baseado em um quiz de dois minutos que deve ser respondido pelo site, o trueandco.com. Cinco sutiãs que se encaixam no perfil são enviados à consumidora mediante um depósito de US$ 45 ( cerca de R$ 91). A pessoa pode escolher qualquer um – ou nenhum – dos sutiãs, e pagar pelo o que comprar. O envio é gratuito.

Até agora, Aarthi disse que sua tecnologia encontrou consumidoras informando que “três ou quatro dos cinco modelos da sua caixa de sutiãs tinham um bom caimento”.

As vendas estão aumentando, disse Michelle, que não quis falar em números. Ela disse que a empresa está planejando “conquistar um destino online para tudo que fica embaixo das roupas”.
 

Topo