Moda

Lolitas Fashion: conheça o estilo das meninas que se vestem como bonecas

Leandro Moraes/UOL
Meninas Lolitas são aquelas que se vestem feito bonecas imagem: Leandro Moraes/UOL

Ciça Vallerio

Do UOL, em São Paulo

Um bucólico piquenique no Jardim Botânico, zona sul de São Paulo, não passou despercebido. No primeiro sábado de dezembro, um grupo de garotas se reuniu para conversar e petiscar, sentadas sobre uma toalha esparramada na grama. Ali estavam algumas das seguidoras do estilo Lolita Fashion, meninas que gostam de se vestir como bonecas e usam vestidos rodados com estampas fofas, anáguas, meias rendadas, sapatos boneca, laços gigantes na cabeça, com direito até a peruca.

Diante de looks tão diferentes, quem passava pelo parque encarava e pedia fotos. Mas elas já estão acostumadas com o assédio e até mesmo aos olhares irônicos e comentários maldosos. "Seguir o estilo Lolita é o maior exercício de confiança da minha vida", diz Mariana Santarem Gomes, de 22 anos, estudante de jornalismo e blogueira. "É muito bom ter o direito de se vestir e ser o que bem quiser, sem ligar para opinião alheia".
 
A moda Lolita no Brasil segue ainda discreta se comparada à fonte de inspiração, o Japão. Entre a miscelânea de estilos que perambulam principalmente pelas ruas de Tóquio, o visual "bonequinha" alavanca a venda de roupas específicas para esse filão, em lojas e sites exclusivos, dos quais as brasileiras passaram a comprar por meio da facilidade do comércio eletrônico. 
 
 
Segundo uma das Lolitas mais atuantes hoje no Brasil e musa inspiradora de várias outras aspirantes, a estilista Lea Bertolini, de 30 anos, existem em São Paulo cerca de 30 seguidoras ativas, daquelas que participam de fóruns, encontros e, claro, investem para valer no look. Apesar de se concentrarem em São Paulo, há seguidoras também no Rio de Janeiro, Minas Gerais, Brasília e até no nordeste. "A comunidade do Sul é também muito forte", atesta Lea, mais conhecida como Kakao. 
 
Esse movimento não está restrito apenas às Lolitas atuantes. Participam do chat da comunidade nacional cerca de 3 mil meninas que, de alguma maneira, se interessam pelo estilo. Em São Paulo, acontece um encontro mensal em lugares que remetam à atmosfera Lolita. Os mais frequentes são: Museu do Ipiranga (Zona Sul), Condimento (doceria no Tatuapé que lembra uma casa de boneca), Casa das Rosas (instituto cultural localizado na Av. Paulista cuja construção é de 1935) e o Café Girondino (tradicional e charmoso endereço que existe desde o começo do século 20 no centro).
 
Neste sábado (15) acontece o Ribbon Fashion Contest, concurso para escolher a Lolita com look mais original entre as finalistas que passaram por duas seletivas anteriores. Nos moldes de um Miss Brasil, elas desfilam e respondem as perguntas dos jurados. Esse evento faz parte do Ressaca Friends, encontro de fãs de cosplay e de anime (HQ japonês). 
  • Leandro Moraes/UOL

    Feminilidade, delicadeza e encantamento são algumas das razões que as seguidoras do Lolita Fashion dão para explicar a atração por um estilo tão incomum

"Como muita gente confunde cosplay com Lolita, temos um espaço especial no evento que ajuda a mostrar que o nosso estilo é uma moda e não fantasia", avisa Kakao, uma das organizadoras do concurso. Embora ambos estejam ligados à cultura japonesa, cosplay é a caracterização de personagens de animes, mangás, comics e videojogos, enquanto o look Lolita tem um quê de moda e identificação com os estilos exagerado do Rococó e o recato da Era Vitoriana.
 
São várias as razões que as seguidoras do Lolita Fashion dão para explicar a atração por um estilo tão incomum: feminilidade, delicadeza, encantamento, o lado lúdico da vestimenta de boneca, se sentir como uma princesa, viver um momento de sonho e por aí vai. "Não sou contemporânea", diz Marina Roque, de 19 anos, que faz faculdade de Artes Visuais e estágio na área. "Gosto de coisas antigas e acho essa moda, além de esteticamente bonita, totalmente diferente do que as pessoas consideram padrão de beleza". No dia a dia, porém, o visual Lolita geralmente entra de forma discreta, acrescentando um detalhe e outro do estilo.  
 
 
Investimento alto
O custo para ser uma Lolita assusta, principalmente entre aquelas que ainda dependem do dinheiro dos pais para seguir a moda. Esse é um dos motivos pelos quais a faixa etária das seguidoras ser, em média, de 25 anos. São jovens que já estão trabalhando e podem bancar o gasto exigido com as roupas e acessórios.
 
Por falta de opções condizentes ao estilo Lolita no Brasil, muitas importam os modelitos típicos. Uma saia rodada e com estampa dentro do padrão dessa moda, por exemplo, pode chegar ao Brasil por R$ 600 (incluindo as taxas de importação), encomendada pela internet de alguma das marcas japonesas adoradas pelas Lolitas, como a Angelic Pretty. Ainda, se a estampa for rara, o valor pode dobrar.
 
"Não é qualquer tecido que dá para virar uma saia Lolita", ressalta Kakao. "Conforme o material e estampa, pode virar uma roupa de festa junina. Para não errar, é preciso unir elegância, harmonia e riqueza de detalhes. Isso não significa ser exatamente o look mais caro".
 
A Lolita Elise Miehe, de 20 anos, não mede esforços para caçar na internet peças para montar seus looks. E é a mãe quem paga suas compras internacionais. "Quando ela reclama, falo que é melhor gastar com isso do que com baladas regadas à bebida", conta ela, que faz faculdade de Hotelaria. 
 
Para reduzir o alto investimento, é comum a compra de peças de segunda mão em sites exclusivos ou durante encontros, como forma de renovar o guarda-roupa. "Ninguém se desfaz de uma roupa Lolita, pois para a gente é como se fosse uma obra de arte", explica Kakao. Por conta do crescente interesse da moda Lolita no Brasil, ela lançou sua própria loja virtual, a Ribbon Land, dedicada ao estilo.
 
Os estilos
Nem todas as Lolitas são iguais. Nessa moda, existem vários subestilos. Os principais são:
 
Classical Lolita: as peças têm um ar mais maduro. Os vestidos possuem padrões vitorianos, com estampas geralmente florais e cores que vão para o rosa antigo, o creme e o marrom.
 
Sweet Lolita: elas seguem o estilo doce. As cores predominantes são variações suaves do rosa, azul bebê e branco. As estampas mais comuns são de balas, brinquedos, ursinhos e padrões como bolinhas.
 
Gothic Lolita: sem abrir mão de rendas e do lado meigo do estilo, os vestidos são mais sóbrios e em tom escuro, principalmente o preto e o roxo.
 
Como se tornar Lolita 
São inúmeros os endereços virtuais que falam sobre a moda Lolita. Para as brasileiras, existem dois principais para orientar, difundir o estilo e trocar figurinhas. O Kawaii Kei, que significa "moda fofa", é uma referência entre as seguidoras. 
 
O blog é uma parceria de Kakao com duas amigas, contém vídeos com dicas, divulgação de eventos e encontros, além de um passo a passo para se tornar uma Lolita, chamado "Anatomia Lolita".
 
Para conversar, tirar dúvidas, conhecer Lolitas de todo o país, o caminho é participar do fórum no endereço: www.modalolita.com/forum.
Topo