Moda

Saiba como escolher um sapato confortável sem abrir mão de estilo

Thinkstock

Marina Oliveira e Thaís Macena

do UOL, São Paulo

Os cuidados com a saúde dos pés sempre estiveram na contramão dos desejos femininos. Saltos agulha e sapatos de bico fino foram por muito tempo a definição máxima de elegância e imponência. O problema é que, ao final do dia, tanto estilo resultava num pé cansado e até machucado. Felizmente, o cenário mudou e hoje já dá para comprar calçados que não agridem os pés nem o visual. É só saber escolher.

"Conforto é um conceito muito subjetivo e não necessariamente restrito a calçados flexíveis, macios ou com sistema de amortecimento de última geração", explica Rafael Barban, especialista do Instituto de Ortopedia do Hospital das Clínicas de São Paulo.  De acordo com o médico, o formato, o comprimento e a largura do pé são os critérios a levar em conta na hora de escolher um sapato e o modelo ideal acomoda toda a planta seu no interior. "Sapato confortável é aquele que se usar por um tempo prolongado sem sentir dor", decreta.


Rasteririnhas, por exemplo, tão associadas a visuais leves e descontraídos, podem ser torturantes para mulheres acostumadas ao salto no dia a dia. O uso contínuo de sapato alto encurta a musculatura e os tendões da panturrilha, o que torna quase impossível o uso de um calçado plano sem sofrimento. "Por ter solado fino, as rasteirinhas exigem muito da parte estrutural do pé e tornozelo", afirma Bernardo Lopes Araújo, do Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia Jamil Haddad.

Para as mulheres que não sofrem do encurtamento mencionado e querem se jogar nas rasteirinhas neste verão, o indicado é escolher sandálias com tiras mais largas, para evitar sobrecarga no calcanhar e nas áreas próximas aos dedos. Slippers e Oxfords também são boas opções entre os planos. Por serem fechados, eles protegem mais o pé e continuam em alta nesta temporada.

Salto alto: use com moderação
Para quem não abre mão de estar nas alturas, aí vai uma boa notícia: o salto alto nem sempre é vilão. O que faz a diferença entre o tolerável e o ruim para a saúde dos pés é justamente a espessura. "Desde que a pessoa não tenha nenhum problema ortopédico, os saltos largos e médios estão liberados, pois permitem uma marcha confortável durante o dia. A distribuição de carga ocorre de forma mais homogênea, evitando a pressão em pontos específicos das solas dos pés, que poderia evoluir para dores e calosidades", assegura Barban.

Por outro lado, os poderosos saltos agulha tornam os passos instáveis, sendo extremamente perigosos para os tornozelos. “Quadril e coluna também são sobrecarregados pela postura de quem usa estes saltos”, afirma Luiz Alberto Nakao Iha, ortopedista pela Universidade Federal de São Paulo. Quanto à altura, Lopes Araújo sugere bom senso: "a mulher deve ter como referências a dor e a estabilidade: ela não pode se sentir incomodada com o sapato nem ter dificuldade para andar". Até a largura do próprio sapato deve ser levada em conta, já que o uso contínuo do bico estreito aumenta a chance do aparecimento de joanete, a deformação do osso do dedão.

Na lista dos sapatos considerados inofensivos, os sneakers lideram. Eles podem ser calçados a vontade no dia a dia, inclusive por quem passa muitas horas de pé. No entanto, não devem ser usados durante práticas esportivas, porque apesar de se parecem os tênis comuns, estes modelos não são desenvolvidos para absorver tanto impacto.

Como comprar o sapato ideal
Em síntese, não basta se apaixonar por um modelo na vitrine. Depois do encantamento inicial é fundamental entrar na loja e experimentar cuidadosamente o calçado, para garantir que aquele sonho de consumo não se torne pesadelo. "É importante observar o acabamento interno, procurando locais que possam gerar atrito indesejado. Andar de um lado para o outro com os dois pés calçados permite avaliar se o amortecimento é suficiente para o tempo de uso diário", orienta Nakao.

O final do dia, quando os pés estão mais inchados, é o momento ideal para ir às compras. Assim não há risco de adquirir um sapato que se tornará incômodo com o passar das horas. Ao provar, não conte com o fato de que o calçado vai 'lacear' e só leve para casa se o ajuste for perfeito. "Se a parte da frente do calçado afrouxou, significa que ele já está apertado na região próxima dos dedos, situação que é prejudicial para à saúde”, conclui Barban.

No mais, respeite o seu estilo ao se deparar com as tendências da moda. E tenha em mente que de nada adianta fazer bonito no visual se isso for lhe acarretar alguma espécie de sofrimento ao final do dia. Considere que quanto mais confortável você estiver, mais segurança irá transmitir ao desfilar por aí.

Topo