Moda

Jogue-se no loungewear, tendência que une estilo e muito conforto

Montagem/UOL
No armário de loungewear cabem pantalonas, saias e vestidos leves, macacões, batas e blusas soltas imagem: Montagem/UOL

Marina Oliveira e Thaís Macena

do UOL, São Paulo

Cada vez mais o modo casual de se vestir vem ganhando as ruas e, segundo os especialistas em moda, não há nada de errado em assumir um visual despojado nas horas livres, desde que ele tenha algum estilo. Para esses momentos, a tendência conhecida como loungewear é a companheira ideal: proporciona total liberdade de movimentos sem prejudicar a elegância. 

A novidade cai como uma luva para quem gosta de ficar à vontade em casa,  mas detesta passar a imagem de desleixo. "A proposta do loungewear vai ao encontro do desejo de valorizar a autoimagem. Ela atende aos homens e às mulheres que se importam com moda e querem se sentir bonitos 24 horas por dia, até mesmo na intimidade do lar", afirma a consultora de imagem Ana Vaz, autora do "Pequeno Livro de Estilo" (Verus Editora).
 
Para acertar nessa tendência, o primeiro passo é entender que loungewear não tem nada a ver com calças de ginástica, pijamas ou, pior, moletons velhos, desbotados e cheios de bolinhas. "Gosto de definir esse estilo como confortável, mas ele pode até ter um toque sensual. Há muitas peças com um ar sofisticado, de tecido mais fino e de caimento macio", explica a publicitária e autora do blog Hoje Vou Assim, Cris Guerra.
 
 
Saiu o dinheiro, entrou a criatividade 
O estilo foi lançado nos Estados Unidos, entre 2008 e 2009, como uma resposta das grandes marcas à nova realidade de seus clientes, que devido à recessão não tinham mais verba suficiente para gastar com saídas de entretenimento. "Para economizar, as pessoas começaram a organizar mais reuniões com amigos e familiares na própria casa", explica a consultora de imagem e estilo, Bia Kawasaki. 
 
Identificando isso, as marcas mantiveram os cortes e caimentos impecáveis que as caracterizavam, mas passaram a investir também em modelagens levemente mais amplas. Assim, no armário de loungewear cabem pantalonas, saias e vestidos leves, macacões, batas e blusas soltas. "As roupas não são estruturadas e não marcam o corpo, mas devem se encaixar perfeitamente na silhueta, sem grudar ou apertar. Não se pode confundir com a moda oversize", alerta. 
 
Os tecidos utilizados são os elegantes com toque macio, como sedas e suas variações, veludo, plush, jérsei, cashmere e a malharia de qualidade. O moletom também tem vez, desde que tenha uma modelagem estilosa. "Estamos falando de um tipo de roupa gostosa para ficar em casa, mas que se você precisar sair para almoçar fora, ir à livraria ou ao cinema, estará bem vestida", descreve Ana Vaz.
 
Da intimidade do lar para as ruas
O loungewear vai bem em qualquer tipo de ambiente mais despojado. "Até para quem trabalha em locais onde o dress code não é tão rígido, em espaços criativos ou educacionais, pode aderir", avisa Bia. Inclusive quem trabalha no esquema de homeoffice. "O loungewear surgiu para colocar um fim nas desculpas de quem acha que pode ficar de pijama o dia inteiro só porque trabalha em casa", decreta. 
 
Sapatos que também tenham o apelo do conforto se alinham à tendência do loungewear. Para colocar os pés na sintonia do estilo, aposte em sandálias rasteiras ou com pouco salto, nas sapatilhas flats, nos sapatênis e sneakers, além dos oxfords e creepers.
Topo