Moda

Mesmo em formato enxuto, SPFW tem os "loucos por brindes"

Patrícia Araújo/UOL
Público do SPFW faz fila em frente ao lounge da Melissa na edição Verão 2014 do evento imagem: Patrícia Araújo/UOL

Maria Rita Fava

Do UOL, em São Paulo

O São Paulo Fashion Week chega à sua 35ª edição em formato enxuto, com menos lounges e áreas de convivência para convidados, mas continua a atrair um público que quer ver e ser visto, e de quebra descolar alguns brindes entre um e outro desfile para o Verão 2014.

A marca de sandálias de plástico Melissa, que nesta temporada apresenta coleção desenvolvida pelo estilista Karl Lagerfeld, restringiu a “interação” com o público. Nada de lounge fechado e máquinas de jogos pelas quais os frequentadores do evento poderiam ganhar pares de sandálias desenvolvidos especialmente para a semana de moda paulistana, a maior da América Latina. Sentada em um dos pufes reservados para descanso e descontração no espaço aberto ocupado pela Melissa, a blogueira Luli Montelone, do Trend Tips, afirma que só conseguiu tomar um sorvete de baunilha, brinde distribuído pela marca ao público geral. Ela estranha não haver, desta vez, em seu terceiro ano de cobertura do SPFW para o blog, a máquina de jogos que antes atraía a multidão em busca de uma Melissa de graça. “Não me considero uma caçadora de brindes, mas é claro que quando dão eu aceito. Se oferecem, melhor. Se não, vale a visita ao espaço para ficar por dentro das novidades, diz.

No espaço do Boticário, um dos patrocinadores que conta com um lounge vip e espaço comum no qual as pessoas podem fazer massagem, curso de maquiagem e ganhar um make gratuito, muitas mulheres confessaram que estavam ali para poder levar para casa um lápis delineador de olhos, da nova coleção da Make B. Ao todo, cerca de 2.600 produtos serão entregues a quem passar pelo espaço, aberto a todos os presentes - a entrada no prédio da Bienal, no entanto, é restrita a convidados.

Abraão Ferreira, consultor de moda e artigos de luxo, diz que é convidado para entrar em todos os lounges, mas despreza os brindes. “Tudo o que quero, eu compro. Mesmo em Paris, quando ganho sacolinhas da Chanel, dou de presente para as minhas funcionárias e primas”. Ele afirma que a luta no Brasil ainda é dura por um convite para ver os desfiles: “em Paris recebo pilhas, aqui é uma dificuldade imensa”.

A marca de cosméticos especialista em tinturas para o cabelo Wella também está entre as poucas que contam com um lounge, mas aberto apenas a convidados da empresa. O espaço é compartilhado com o shopping Iguatemi de São Paulo, onde os privilegiados podem ganhar guloseimas, adesivo para unhas, capas para iPhone 4, lenços e outros produtos úteis para o nécessaire.

A blogueira Camila Coutinho, do Garotas Estúpidas, recebe convidados no espaço da Colgate para dicas de moda e beleza. Mais acessível ao grande público, o lounge distribui bolsas equipadas com produtos de higiene bucal, “conseguidos” pela máquina de pegar bolinhas, vermelhas e brancas. Talitah Sampaio, do blog Nuas e Cruas e frequentadora do SPFW há mais de três anos, afirma que se sentiu um pouco perdida com a mudança da data e que a edição está "razoavelmente fraca".

Pelos corredores da Bienal, Rúbia Luciana, acompanhada de uma amiga, estava descontente com a falta de brindes da temporada. Conhecida por assessores de imprensa como uma frequentadora assídua do evento, Rúbia reclama da dificuldade para entrar sem convite nos desfiles e considera esta edição como um fracasso no quesito brindes. A opinião é compartilhada pelo maquiador Emerson Murad, que há tempos deixou de trabalhar no SPFW para dedicar-se com exclusividade ao salão Maria Bonita Exclusivo, em São Paulo. “Até esse meu drinque eu comprei”, diz ele em refêrencia aos tempos de bebida abundante nos lounges com entrada fácil.

Por outro lado, o desfile da Cavalera fechou a primeira noite do SPFW deixando muita gente satisfeita. Almofadas gigantes foram entregues para que os “não mapeados” (aqueles que sempre aparecem, mas que por alguma razão não têm convite ou lugar reservado pela marca) se sentassem à frente dos convidados e imprensa da primeira fila. O apresentador Evandro Santo, na pele de Christian Pior, não pensou duas vezes e pegou a sacolinha com brindes preparada para o público vip e sentou-se no chão, sem hesitar. 

Topo