Moda

Aprenda com os acertos e erros de estilo dos jogadores de futebol

Divulgação
O jogador Lionel Messi é um dos estilosos dos campos. Ao lado, montagem com sugestões de looks inspirados no look do jogador imagem: Divulgação

Ricardo Oliveros

Do UOL, em São Paulo

Eles são milionários, bem sucedidos na vida profissional, modelos de campanhas publicitárias, ídolos de milhões de pessoas no mundo inteiro. Enquanto alguns jogadores de futebol estão nas listas de mais bem vestido do mundo, outros passam bem longe disso. Aprenda com os acertos e erros de craques como Beckham, Messi, Cristiano Ronaldo, Kaká, Neymar, entre outros.

Na seleção de estilo, Beckham é o ponta de lança

O termo metrossexual surgiu em 1994, num artigo do escritor inglês Mark Simpson para o jornal inglês "The Independent" e se referia ao homem vaidoso ao extremo, típico das metrópoles modernas. David Beckham foi o mais citado para exemplificar esse fenômeno, que rompia com a ideia de que homem não poderia cuidar da pele, pintar os cabelos, gostar de moda. Houve muita polêmica sobre o assunto, mas uma coisa é fato, o jogador inglês aprimorou seu estilo e hoje é considerado um dos homens mais elegantes do mundo.

A trajetória de Beckham mostra que estilo, antes de tudo, é uma construção, não se nasce sabendo sobre o que é certo ou errado, sobre que nos cai bem, ou o que nos deixa confortáveis, e que vale a pena arriscar, mesmo que algumas vezes venhamos a errar.  Ele construiu uma imagem de sucesso, que inclui sua linha de cuecas, perfumes, propagandas e patrocínios.

Saiba quem são os atacantes da seleção mais elegante do futebol

Com sua atitude, Beckham abriu portas para vários jogadores exibirem seu lado “fashionista” (pessoas ligadas na moda) como os brasileiros Alexandre Pato e Kaká, o espanhol Xabi Alonso, o italiano Claudio Marchisio e o francês Thierry Henry.  Cada um ao seu modo, eles conquistaram uma posição de destaque no quesito estilo. Vale lembrar que o esporte tem sido uma influência muito forte na moda masculina e, por meio dele, surgem novos elementos na tradicional alfaiataria, que se torna cada dia menos formal. Assim, os jogadores de futebol se tornaram modelos de marcas de luxo, não só pelo físico, mas pelo que eles representam como ícones mundiais.

Cristiano Ronaldo, Messi e Daniel Alves ficam na retranca e procuram avançar em alguns momentos

Cristiano Ronaldo, jogador do Real Madrid e da seleção portuguesa, bem que quer pegar o lugar de Beckham, tanto que foi seu substituto nas propagandas de cuecas e jeans da Armani, mas seu estilo exagerado deixa muito a desejar no quesito elegância. Muitas vezes, merece cartão vermelho, outros somente um amarelo de advertência.

O melhor jogador do mundo na atualidade, o argentino Lionel Messi ainda está no meio do caminho do bem vestir. Na entrega da Bola de Ouro de 2012, ele foi responsável pela roupa mais polêmica dos últimos tempos: um paletó de “smoking” (traje de gala masculino) estampado com bolinhas e gravata-borboleta no mesmo padrão, da marca Dolce & Gabbana. A escolha da roupa, digna de um astro de música, mostrou ao menos que jogadores de futebol podem ousar e contribuir para que a moda masculina seja cada vez menos careta.

Daniel Alves, que joga ao lado de Messi no Barcelona e na seleção brasileira, também está na lista dos que procuram seu estilo. Ele já descoloriu os cabelos, usou corte moicano, e nas escolhas das roupas tem procurado peças diferenciadas. Muitas vezes acerta, outras vezes, o resultado fica estranho.

Neymar, por enquanto, fica na reserva!

Neymar está longe da lista dos mais elegantes, mas ganhou capa de uma conceituada revista masculina italiana. A curiosa história começou com a edição da "Vogue" Itália de março de 2012, quando em uma matéria sobre o jogador, lia-se: “Temos que admitir que seu estilo está entre os mais aterrorizantes da história do futebol”, e mais adiante , “Enquanto Neymar parece não ter medo de ousar nos cabelos, seu senso de moda parece terrivelmente chato”. Na matéria, a revista dava conselhos de como ele deveria se vestir.

Um ano se passou, e em janeiro deste ano, a "L’Uomo Vogue" estampou na capa o jogador santista, com direito a um editorial fotografado na Vila Belmiro. O resultado não foi lá dos melhores e poderia ter indicado um caminho interessante para mesclar alfaiataria e roupas esportivas. 

Topo