Moda

Botas são bom complemento para os homens no inverno; aprenda a usar

Divulgação
A forma mais comum de usar a bota desert (deserto em inglês) é com jeans, camiseta ou camisa e uma blusa para os dias mais frios imagem: Divulgação

Ricardo Oliveros

Do UOL, em São Paulo

As botas são calçados usados desde a Antiguidade para proteger o tornozelo e as pernas contra o frio, umidade, lama e sujeira. O aspecto utilitário sempre foi o diferencial deste tipo de sapato, seja por sua origem na guerra, no esporte ou nas áreas rurais.

Para o próximo inverno, pelo menos quatro modelos vão disputar a sua atenção: chukka, desert, náutica e chelsea. Estrangeirismos à parte, saiba diferenciar os modelos e tirar maior proveito de cada um.

Botas chukka têm origem no esporte

Um dos modelos mais comum de botas é o chukka. Ele foi criado para jogar polo e é caracterizado pelo cano na altura do tornozelo e a abertura estreita, para dar segurança para os cavaleiros. O nome vem da palavra indiana que indica um dos sete períodos de uma partida de polo. Ficou popular nas décadas de 1940 e 1950, e hoje podemos encontrar modelos sociais em couro, ou casuais, feitos em camurça.

Os modelos em couro combinam tanto com ternos e costumes, no seu uso formal, quanto com jeans, para ocasiões informais. Com esta versatilidade, deveria ser o primeiro par de botas no guarda-roupa do homem adulto.

Botas desert surgiram na guerra

Muito parecidas com o modelo chukka, as botas desert ("deserto", em inglês) foram criadas por Nathan Clark para o Exército Britânico nos anos 1940. Ele foi um dos primeiros a perceber que um calçado de guerra poderia ser usado com sucesso em tempos de paz, tanto que desde a sua criação já foram vendidos mais de 12 milhões de pares. A grande diferença para o chukka está na abertura mais ampla na altura do tornozelo, que permite que o calçado seja tirado com mais facilidade para sacudir a areia dos pés dos soldados.

Devido ao seu desenho simples e despojado, é considerado um calçado casual, que combina muito bem com jeans. Na Europa, onde é primavera, a moda é usar o modelo em cores fortes - combinação adotada pelo príncipe Harry. O modelo original tinha somente dois pares de ilhoses para o cadarço, mas atualmente pode ter três pares.

A batalha entre topside e dockside

Dois fabricantes de calçados náuticos, a Sperry (1935) e a Sebago (1946) duelam há anos para saber quem produz o melhor modelo. As marcas são registradas, tanto que ninguém pode usar os termos topsiders (da Sperry) e dockside (da Sebago), que se refere aos mocassins impermeáveis como “boat shoes” (sapato para barco) ou “deck shoes” (sapato para o deque, ou seja, piso do barco).

Com o sucesso deste tipo de calçado, foi criado um estilo de bota inspirado no mocassim, reservado para o uso urbano. O desenho da base é o mesmo, porém o cano fica na altura do tornozelo. É um modelo casual que pode ser usado com calça jeans, sarja ou veludo.

Chelsea é o modelo que ficou famoso por causa dos Beatles

A bota chelsea surgiu na Era Vitoriana (1837 e 1901) na Inglaterra, época em que foi associado à montaria de cavalos. Ela é caracterizada pelo elástico ou zíper nas laterais e vai até a altura do tornozelo. Na década de 1960, ficou famosa na primeira fase dos Beatles, e foi usada por músicos como Bob Dylan, Mick Jagger e Jim Morrisson (do The Doors).

É interessante notar que, no Brasil, foi mais usada nas áreas rurais, tanto que ficou estigmatizada como “coisa de jeca”, numa alusão ao personagem Jeca Tatu, de Monteiro Lobato, imortalizado no cinema por Mazzaropi (1912-1981).

Se você é deste time, melhor rever seus conceitos. O modelo “jeca” pode ser usado com ternos e costumes, com calças de corte mais rente ao corpo, e é considerado um sapato clássico e elegante. 

Topo