Moda

"Saramandaia" tem figurino dividido entre conservador e moderno

Divulgação/TV Globo
Os figurinos de "Saramandaia" são divididos entre "saramandistas" e "bolebolenses" imagem: Divulgação/TV Globo

Do UOL, em São Paulo

Na nova novela "Saramandaia", fica claro como o figurino tem o papel de ajudar a contar uma história e definir a personalidade de seus personagens. A trama global que estreou nesta segunda-feira (24) é livremente inspirada na obra de Dias Gomes, televisionada pela primeira vez em 1976.

A releitura mantém a história original passada em Bole-Bole, onde jovens encaram uma disputa política com a intenção de mudar o nome da cidade para Saramandaia. A trama conta com personagens fantasiosos, e a característica mais marcante de seus figurinos é a divisão entre os "bolebolenses" e os "saramandistas".

Personagens como Aparadeira (Ana Beatriz Nogueira), Fifi (Georgiana Góes) e Helena (Ângela Figueiredo) são conservadoras, tradicionais e a favor de Bole-Bole. Elas usam cores neutras e sóbrias em looks formais e antigos. Já Zélia (Leandra Leal) e Bia (Thais Melchior) são modernas, lutam para mudar o nome da cidade e usam roupas contemporâneas.

Ainda há looks divertidos, como os enormes conjuntos estampados de Dona Redonda (Vera Holtz) e de Candinha (Fernanda Montenegro), que mistura texturas e cores.

Topo