Moda

Mocassim é a grande aposta para os homens no verão

Divulgação
A lona colorida dá um aspecto mais rústico para o tradicional mocassim náutico. Estes são da Samello e saem por R$ 229 cada imagem: Divulgação

Ricardo Oliveros

Do UOL, em São Paulo

Se existe um calçado com muitos altos e baixos na sua história é o mocassim. Inventado por povos tão díspares quanto os índios norte-americanos e os noruegueses, foi usado por artistas de diferentes épocas como Elvis Presley e Michael Jackson, e já foi considerado tanto elegante quanto cafona. Agora, ele aparece renovado pelas cores em diferentes modelos. Saiba quais os que estarão em evidência no verão e aprenda a usá-los de forma atual.

O primeiro registro de mocassim foi dos índios algonquinos, da fronteira dos Estados Unidos com o Canadá, que deram esse nome aos seus sapatos de couro costurados à mão com pontos largos ao redor do peito do pé e sobre os dedos. Em versões mais estruturadas, são chamados em inglês de "loafer".

Inspirado em um modelo usado por noruegueses na década de 1930, os americanos criaram os "weejuns" (pronuncia-se "uídjans"), uma corruptela de "Norwegian" ("norueguês"), um dos tipos de “loafers” mais comuns. Seu diferencial é uma faixa de couro com um losango vazado na parte que cobre o peito do pé. Tornou-se muito popular entre os universitários americanos na década de 1950 e ficou conhecido por "penny loafer", porque, segundo algumas versões, os estudantes colocavam um "penny" (moeda de um centavo) na faixa do calçado.

Em 1966, a marca italiana Gucci criou um modelo de mocassim com bridão de metal e se tornou febre entre homens de negócios da Bolsa de Valores de Nova York na década de 1980. Até hoje, é um modelo reproduzido por diferentes marcas, tanto em couro, quanto em camurça. Outra criação italiana é "driver" (de "motorista", em inglês), criado em 1963 por Gianni Mostile. Ele tem como diferencial o solado de borracha com gomos, feito para dar conforto e sensibilidade aos pés sobre os pedais dos carros.

O "dockside" (palavra em inglês referente às docas ou porto) é um tipo de mocassim lançado em 1935 por Paul Sperry e feito originalmente para marinheiros. Tem como características principais o solado de borracha e a tira que envolve as laterais do calçado. Apesar da denominação estar associada ao modelo do sapato, o nome é uma marca registrada e outras empresas não podem usar esta denominação de forma oficial.

O astro do rock Elvis Presley ajudou a difundir o uso do mocassim nos anos 1950, assim como "moonwalk" de Michael Jackson ficou mundialmente famoso em 1983, feito com um modelo em couro preto e meias brancas no especial da Motown Records transmitido pela TV, quando ele cantava a música “Billie Jean”.

Os modelos com pingentes e franjas, inspirados no modelo indígena, foram (e ainda são) considerados cafonas, fazendo com que este tipo de calçado ficasse escondido durante décadas. No Brasil, o modelo náutico foi usado à exaustão nos anos 1980 e depois caíram no esquecimento, sendo substituídos, na preferência nacional, pelos sapatênis da década de 1990.

Um cuidado que se deve ter na hora de combinar seu mocassim é escolher uma calça de boca estreita, ou mesmo as modelagens "fit" (mais rente ao corpo) ou "skinny" (bem justa) para não dar um ar de desleixo. O modo mais atual de usar a calça é com a barra mais curta ou mesmo enrolada.

O mocassim, que por seu desenho deixa parte do pé a mostra, usa-se sem meias. Homens brasileiros não tem este costume, muito por causa do calor e da transpiração. Neste caso, pode optar por algum talco ou desodorante específico para os pés, ou usar meias invisíveis tipo sapatilha, diferentes do modelo esportivo para usar com tênis, porque cobrem apenas os dedos e parte do calcanhar.

Topo