Moda

Shorts curtos ressurgem como peça masculina; e, aí, vai encarar?

Divulgação
O short deixou de ser uma peça bem aceita por homens em ambientes urbanos, mas, em locais de praia, pode ser uma boa opção imagem: Divulgação

Ricardo Oliveros

Do UOL, em São Paulo

A novela “Pecado Mortal”, exibida pela TV Record, tem uma fase que se passa na década de 1970, e, como retrato da época, os homens usam aqueles shorts mais curtos, para os quais muitos homens olhariam torto hoje. Como a moda tem um ciclo de roupas que vão e voltam, muitas marcas apostam na volta gradual desta peça, nem que seja na academia.

Antes de atirar a primeira pedra contra o short, vale lembrar de alguns fatos marcantes da peça. Foi somente a partir do século 20 que o homem passou a mostrar suas pernas em público, apenas em atividades esportivas ou trajes de banho. A palavra é inglesa e significa curto, com origem nas “short pants” (calça curta, em inglês), e deve ser usada no singular quando se referir a uma única peça (vestiu o short). Grande parte da sua popularidade é por causa de esportes como rúgbi, tênis e o futebol. Eles eram curtos, mas bem largos, até os anos 1970, quando a Adidas lançou um modelo muito mais curto, que virou uniforme de diferentes times pelo mundo e de seleções, apesar de que no Brasil, foi na década de 1980, que eles realmente vingaram.

Nas ruas, a moda deste comprimento de short teve o auge no mesmo período, como pode ser visto nos personagens da novela “Pecado Mortal”, exibida pela Rede Record. A partir de 1990, mesmo no esporte a peça começou a ficar mais longa, e a bermuda foi ganhando mais espaço, até por influência do skate e da cultura urbana do hip hop, inspirada nos novos uniformes de basquete, com seus bermudões longos e largos -- não muito tempo antes, basqueteiros famosos como Magic Johnson e Larry Bird também exibiam suas coxas pelas quadras. Com os anos, o comprimento da bermuda, seja na altura do joelho, ou pouco acima, passou a ser mais comum, levando o short para seu lugar restrito a atividades esportivas e como traje de banho.

Na moda atual, que muito se inspira nas décadas passadas, temos várias marcas internacionais que investem há anos na volta do short para uso urbano, ainda que seja mais comum em balneários europeus, nos quais nunca foi deixado de lado por completo. No Brasil, a bermuda cargo e os modelos surfistas acabaram se tornando os preferidos, e o short tornou-se peça identificada como feminina. Por conseguinte, os homens que se arriscam a usá-lo passaram a ser identificados como gays. Nada a ver, é claro.

E, você, teria coragem de usar short fora da academia ou da praia?

Topo