Moda

"Você compra uma camiseta por R$ 20 e um ingresso de cinema", diz ministra

UOL
A ministra da Cultura, Marta Suplicy, visitou o último dia do São Paulo Fashion Week e assistiu ao desfile masculino de Alexandre Herchcovitch imagem: UOL

Do UOL, em São Paulo

Em meio à polêmica sobre a Lei Rouanet dar incentivos a estilistas de moda, a minista da Cultura, Marta Suplicy, visitou o São Paulo Fashion Week para o desfile masculino do estilista Alexandre Herchcovitch, um dos contemplados pela lei, na noite desta sexta-feira (1º).

Segundo a ministra, o que espantou imprensa e população foi compreender que moda também é cultura. “Não podemos achar que ópera é melhor do que música popular. Temos de abranger tudo”, disse ela.

Questionada sobre o acesso que a população tem a cinemas ou teatros em comparação à moda, Marta Suplicy disse que há, sim, a contrapartida para a população, como o acesso virtual às apresentações.

O acesso ao consumo de moda, segundo ela, é justificado pela equivalência entre o preço de uma camiseta e o de um ingresso para o cinema. O custo para consumir os diferentes tipos de cultura seria o mesmo. “Você compra uma camiseta por R$ 20 e um ingresso de cinema também”, afirmou. Segundo a ministra, o acesso vai além do consumo, e a população tem informação de moda.

Ao comprar uma peça de roupa, explicou, os brasileiros sabem ver que aquilo faz parte de uma cadeia com origem nas passarelas e identifica de onde veio a proposta. "As pessoas tem acesso a tudo. Elas veem novela, que lançam moda", afirmou.

4 eixos

Durante a conversa breve com a imprensa, Marta explicou que o ministério está trabalhando a moda em quatro eixos: internacionalização, preservação de acervo, tradição e formação de estilistas. 

O valor oferecido pela Lei não é fixo e "varia de acordo com o projeto", disse sem exemplificar.

Topo