Moda

Impressão 3D chega à moda com diferentes usos e questões

PR Newswire
Vestido criado por Iris Van Herpen com a tecnologia da impressão 3D imagem: PR Newswire

Relax News

Este ano viu a impressão 3D chegar às manchetes como uma das mais excitantes tecnologias do momento. Como o mundo da moda respondeu a isso? E o que vem pela frente?

Embora a impressão em 3D ainda não esteja presente na maioria dos lares, ela segue o caminho para se tornar acessível, e, como sabemos, onde quer que haja uma tendência, a moda sempre vai atrás.

Neiman Marcus recentemente aliou-se à Shapeways, uma empresa de impressão em 3D, para oferecer um pingente de prata de lei impresso em 3D desenhado por Roger Pearce.

Várias e diversas marcas do setor de estilo de vida experimentaram a tecnologia neste ano, incluindo a Nike, que criou a Vapor Laser Talon, um protótipo de chuteira de futebol que usa a tecnologia Sinterização Seletiva a Laser (um processo químico de aglutinação de partículas) para criar uma base mais leve e forte.

A marca de lingerie Victoria's Secret também embarcou na tendência, encomendando um look "Floco de neve" especialmente impresso em 3D para seu famoso desfile de passarela. Desenhadas pelo arquiteto Bradley Rothenberg, da Shapeways, e adornadas com cristais Swarovski, as peças foram colocadas sobre as roupas íntimas da modelo Lindsay Ellingson e apresentam um corset e asas no estilo floco de neve.

Enquanto isso, a emergente estilista holandesa e favorita de Lady Gaga, Iris Van Herpen, foi a principal figura da moda a usar a tecnologia em seu desfile em 2013. Iris trabalhou com duas empresas de impressão em 3D -a Stratasys e a Materialise -, assim como com a professora do MIT Neri Oxman (a artista, que é brilhante em várias áreas de estudo, além de arquiteta e designer, trabalha no Media Lab da universidade) e também junto com a arquiteta austríaca Julia Koerner para sua coleção de alta-costura de janeiro, chamada Voltage.

O processo de impressão 3D elimina por completo as costuras e cortes normalmente exigidos para elaborar uma roupa de costura comum. Um vestido foi composto pela superposição de múltiplas camadas de finas tramas de tecido, que produziram uma forma orgânica e flexível quando ajustadas ao corpo.

"Acho o processo de impressão 3D fascinante, porque acredito que vai ser apenas uma questão de tempo antes que a gente possa ver as roupas que usamos serem produzidas com essa tecnologia", explicou Iris.

Corte e customização

No futuro, a impressão 3D não vai apenas significar que as roupas vão vestir melhor (com itens feitos sob medida de acordo com escaneamentos do corpo), mas também vão permitir que os clientes customizem suas peças completamente, uma tendência já disparada pela Burberry com seu serviço de personalização "Runway Made to Order" [Roupa de Desfile sob Medida].

Dessa forma, será que o código do computador poderia substituir a costura de alto nível? E qual vai ser a primeira grande marca de luxo a criar um produto impresso em 3D massificado? Bem, não vai ser tão simples assim.

Se a ideia da impressão em 3D é uma democratização revolucionária do processo de fabricação, permitindo que cada um produza itens complicados a partir de seu computador doméstico, no entanto isso pode se revelar algo um pouco difícil de ser engolido pelas companhias de luxo (e por seus clientes), que se apoiam numa forte aura de exclusividade.

As marcas da alta-costura cobram preços astronômicos por seus vestidos exclusivos devido ao extraordinário nível de habilidade manual e técnica amadurecida envolvido em sua manufatura. Os ateliês lotados de artesãos altamente treinados produzem excelentes apliques e trabalhos de costura para uma clientela que faz parte de uma elite mundial. Eles não estão propensos a serem pressionados por nenhuma mudança.

E a indústria do luxo como um todo está cheia dessa espécie de especialização. Os clientes de bolsas da Hermès, por exemplo, pagam um valor especial pelas centenárias técnicas de trabalho com o couro que foram passadas de geração em geração nas oficinas da empresa. O recente evento Jornadas Especiais LVMH deste verão procurou mostrar a importância das muitas e diversas habilidades dos operários, dando a membros sortudos do público a chance de vê-los trabalhando.

Criatividade e questões legais

Para além de vestidos e bolsas, como as marcas vão lidar com questões de direito autoral quando fãs ou rivais puderem imprimir suas próprias cópias piratas de acessórios em casa? Para toda a criatividade desencadeada nos estúdios de design da Chanel e Dior, haverá iguais oportunidades para a criatividade se manifestar em outros lugares. Empresas como a Continuum já estão abrindo novos horizontes, produzindo sapatos que misturam moldes impressos em 3D com formas cortadas manualmente.

Apesar de muitas questões já estarem surgindo, a impressão 3D certamente vai agitar as coisas. Como de costume, talvez alguma mistura de trabalho automatizado com um toque humano seja o caminho a seguir?

Topo