Moda

Roupas para exercícios físicos não precisam ter "cara de academia"

Divulgação
Para quem gosta de fazer caminhadas, uma bermuda e uma camiseta resolvem a questão. Neste caso, um tênis pode ser um bom investimento imagem: Divulgação

Ricardo Oliveros

Do UOL, em São Paulo

Daniel Lieberman, pesquisador do departamento de biologia da evolução humana da Universidade de Harvard, causou polêmica ao publicar um artigo na revista “Nature” defendendo os benefícios da corrida sem calçado.  Isso abriu uma possibilidade de descomplicar aquilo que você veste na hora de exercitar.

“As indústrias têxteis têm investido muito dinheiro na competição por tecidos inteligentes. Além da evolução dos tecidos, as costuras invisíveis e os cortes das peças ajudam a melhorar a silhueta e conseguem favorecer a segurança dos movimentos, minimizando o risco de enroscar em superfícies ásperas ou pontas. Tecidos tecnológicos aliados a cortes específicos oferecem compressão nas coxas ou nas panturrilhas, favorecendo a circulação e a recuperação da musculatura das pernas”, explica Guilherme Moscardi, responsável pela área técnica e treinamentos da Runner.

Se por um lado, estes avanços se mostram importantes na área de alta performance, nas atividades físicas para amadores, muitas vezes não é preciso tanto investimento. “A maioria dos tecidos ‘dry’ (usados para favorecer a transpiração) são fruto de tratamentos que os tecidos recebem e que tem validade de aproximadamente dez lavagens. A proteção UV também pode ser resultado de tratamento ou trama das fibras. É importante descobrir esta informação para decidir o quanto pagar a mais por estes tecidos normalmente mais caros que os tecidos comuns”, avalia Moscardi.

Via de regra, um calçado apropriado e roupas leves e confortáveis são suficientes para quem pratica atividade física. “A maioria dos praticantes de esporte amador caminham ou fazem atividades moderadas. Para este público, uma bermuda solta e uma camiseta confortável é o suficiente”, completa ele.

Topo