Moda

Moda dos anos 90 está em alta; saiba como usar sem ficar com o look datado

Cacau Araújo

Do UOL, em Brasília

Revirar as fotos do passado e gargalhar com os looks de outra época é costume de muita gente. Mas, no mundo da moda, existe uma regra: ela é cíclica. Depois de um tempo, as roupas do passado voltam a ter charme, reinventam-se e as melhores lições de estilo daquele tempo conquistam espaço nos armários das fashionistas. E a década que está de volta dessa vez é uma que muita gente fez questão de esquecer: os anos 90.

O brega vira chique

Cintura alta, conjuntinhos, cabelos de volume extravagante. Quem diria que os anos que foram marcados pelo estilo grunge, mochilas e looks com toque esportivo estariam de volta e conquistariam espaço nas ruas e vitrines? Quem ficou feliz com este retorno foi a estilista Camila Cutolo, da marca Alcaçuz, que já trazia para seu estilo e, da forma que podia, para suas criações, referências dos 90.

“Os ciclos da moda passeiam pelas décadas o tempo todo. Atualmente, é praticamente um liquidificador. Nos últimos tempos, a maioria se saturou dos anos 70 e 80, e caiu simultaneamente nos anos 90 e 60. Era quase o caminho natural a se seguir para mudar de ares”, diz Camila. A estilista tem na ponta da língua as tendências de que mais gosta neste flashback: os tamanhos grandes e o minimalismo. “Amo o oversized divertido do hip hop, que vem dos anos 80 e se aprimorou na década seguinte, e a simplicidade”, comenta.

Primeiro passo

Mas e como reciclar essa moda sem parecer fantasiada? A consultora Luanda Fonseca, da Basique, dá a dica certeira. “Depende das prioridades de cada uma. Para incorporar essas tendências a um guarda-roupa clássico, é preciso encontrar aquilo que tem a cara da pessoa. Sugiro as mules, que toda estação ensaiam um retorno triunfal. Já as mais moderninhas podem investir em uma boa mochila ou um macacão jeans, que é uma peça incrível que voltou com tudo recentemente”, ensina.

E não precisa ter medo de olhar as fotos daqui a um tempo e cair na risada. As especialistas fazem coro quando dizem que a tendência é nada mais parecer ridículo. “Percebemos que a moda se renova”, fala Luanda. “Acho que quanto mais para frente andamos, menos coisas nos parecerão estranhas! Cada vez mais tudo vai andar no mesmo caminho, fundir-se. Daqui a 20 anos acho que será uma dança de referências caminhando juntas”, concorda Camila.

Topo