Últimas de Estilo de vida

Seis peças femininas que são inspiradas no guarda-roupa masculino

Do UOL, em São Paulo

Hoje a moda feminina é mais eclética e permissível que a masculina. Mas, por muitos anos, as mulheres eram obrigadas a seguir condutas de comportamento, que se estendiam às peças que usavam, enquanto os homens eram os que ousavam e ostentavam por meio das roupas. A estilista francesa Coco Chanel foi um dos principais nomes responsáveis pela democratização da moda, propondo para as mulheres usarem peças do guarda-roupa masculino e, assim, transformando o visual feminino da década de 20. O uso da calça, por exemplo, foi um marco na luta pela igualdade feminina na sociedade. A seguir, conheça a breve história das principais peças femininas que antes eram de uso exclusivo dos homens.

Seis trajes com origem masculina

  • Thinkstock

    Calça

    Com os homens lutando na Primeira Guerra Mundial (1914-1918), as mulheres passaram a trabalhar fora de casa, o que trouxe maior independência feminina. Nos anos 20, a estilista Coco Chanel reforçou esta nova atitude e deu início à popularização da calça entre as mulheres. Mas foi só nas décadas de 50 e 60 que a peça se consolidou no guarda-roupa feminino, ao ser popularizada por estrelas do cinema

    Imagem: Thinkstock

  • Getty Images

    Terninho

    Antes de uso exclusivo dos homens, o terno usado com saia --e não com calça-- passou a ser usado pelas mulheres na década de 1880 e, pela praticidade, era considerado um traje de trabalho. Nos anos 20, Chanel criou seus tailleurs revolucionários com saias retas, na altura do joelho. Em 1966, Yves Saint Laurent criou o "Le Smoking", uma adaptação para o corpo feminino usado com calça

    Imagem: Getty Images

  • Getty Images

    Camisa

    Até o século 19, a camisa era usada por baixo de roupas rebuscadas a fim de evitar que elas se impregnassem com o odor do corpo. Aos poucos, elas se tornaram mais visíveis e sua história acompanha a do tailleur --terninho feminino. Durante o período do pós-guerra, se popularizou quando surgiu o estilo "à la garçonne", que incorporava elementos masculinos ao visual das mulheres

    Imagem: Getty Images

  • Getty Images

    Colete

    Os coletes passaram a ser usados na indumentária masculina na década de 1660, compondo looks rebuscados, com babados e bordados. Ao longo dos anos, foi se simplificando e ganhando versões mais práticas. No século 20, se juntou ao paletó e à calça, compondo o terno; já nos anos 70, passou a ser usado de maneira casual e foi introduzido no guarda-roupa feminino

    Imagem: Getty Images

  • Getty Images

    Macacão ou jardineira

    O macacão surgiu por volta de 1700 e oferecia resistência, proteção e praticidade aos trabalhadores braçais --principalmente do campo. As mulheres passaram a usar a peça quando ocuparam o mercado de trabalho durante a Primeira Guerra Mundial. Foi nos anos 60 que a peça passou a ser usada como uma roupa casual, fazendo muito sucesso durante as décadas de 70 e 90

    Imagem: Getty Images

  • Getty Images

    Sapato oxford

    O clássico sapato de couro com amarração na altura do peito do pé existe desde os anos 1600 e tem este nome por ter sido usado pelos estudantes da Universidade de Oxford. O modelo se tornou popular entre os homens nos anos 1800, quando a moda passou a ganhar mais praticidade. Entre as mulheres, começou a fazer sucesso nos anos 20 e novamente nos anos 50, permanecendo na moda até os dias atuais

    Imagem: Getty Images

Seis trajes com origem masculina

  • Thinkstock

    Calça

    Com os homens lutando na Primeira Guerra Mundial (1914-1918), as mulheres passaram a trabalhar fora de casa, o que trouxe maior independência feminina. Nos anos 20, a estilista Coco Chanel reforçou esta nova atitude e deu início à popularização da calça entre as mulheres. Mas foi só nas décadas de 50 e 60 que a peça se consolidou no guarda-roupa feminino, ao ser popularizada por estrelas do cinema

    Imagem: Thinkstock

  • Getty Images

    Terninho

    Antes de uso exclusivo dos homens, o terno usado com saia --e não com calça-- passou a ser usado pelas mulheres na década de 1880 e, pela praticidade, era considerado um traje de trabalho. Nos anos 20, Chanel criou seus tailleurs revolucionários com saias retas, na altura do joelho. Em 1966, Yves Saint Laurent criou o "Le Smoking", uma adaptação para o corpo feminino usado com calça

    Imagem: Getty Images

  • Getty Images

    Camisa

    Até o século 19, a camisa era usada por baixo de roupas rebuscadas a fim de evitar que elas se impregnassem com o odor do corpo. Aos poucos, elas se tornaram mais visíveis e sua história acompanha a do tailleur --terninho feminino. Durante o período do pós-guerra, se popularizou quando surgiu o estilo "à la garçonne", que incorporava elementos masculinos ao visual das mulheres

    Imagem: Getty Images

  • Getty Images

    Colete

    Os coletes passaram a ser usados na indumentária masculina na década de 1660, compondo looks rebuscados, com babados e bordados. Ao longo dos anos, foi se simplificando e ganhando versões mais práticas. No século 20, se juntou ao paletó e à calça, compondo o terno; já nos anos 70, passou a ser usado de maneira casual e foi introduzido no guarda-roupa feminino

    Imagem: Getty Images

  • Getty Images

    Macacão ou jardineira

    O macacão surgiu por volta de 1700 e oferecia resistência, proteção e praticidade aos trabalhadores braçais --principalmente do campo. As mulheres passaram a usar a peça quando ocuparam o mercado de trabalho durante a Primeira Guerra Mundial. Foi nos anos 60 que a peça passou a ser usada como uma roupa casual, fazendo muito sucesso durante as décadas de 70 e 90

    Imagem: Getty Images

  • Getty Images

    Sapato oxford

    O clássico sapato de couro com amarração na altura do peito do pé existe desde os anos 1600 e tem este nome por ter sido usado pelos estudantes da Universidade de Oxford. O modelo se tornou popular entre os homens nos anos 1800, quando a moda passou a ganhar mais praticidade. Entre as mulheres, começou a fazer sucesso nos anos 20 e novamente nos anos 50, permanecendo na moda até os dias atuais

    Imagem: Getty Images

Topo