Moda

Atualizada em 13.03.2015 14h00

Única brasileira na lista de melhores tops fala sobre nova rotina e magreza

Getty Images
Atualmente, Amanda é a única brasileira na lista de 50 maiores modelos do mercado imagem: Getty Images

Fernanda Schimidt

Do UOL, em São Paulo

Em sua primeira temporada de passarelas internacionais, a mineira Amanda Wellsh foi selecionada pela grife italiana Gucci para abrir e fechar a apresentação da coleção Verão 2014, em Milão. Era setembro de 2013 e sua carreira já somava quase uma década pontuada por trabalhos sem grande projeção, bem diferente da maioria das apostas do mercado de modelos, que são alçadas ao posto de meninas dos olhos de estilistas, fotógrafos e editores de moda ainda no início da adolescência.

A demanda de viagens e trabalhos no exterior transformou o trajeto Belo Horizonte-Nova York em ponte aérea na vida da modelo nascida em Pato de Minas. Amanda, no entanto, procura fugir dos clichês de um mundo cheio de glamour, babado e sofisticação. Ela aponta um cotidiano sem fantasias, cheio de estresse e solidão.

“Não é fácil. A gente viaja o mundo, está sempre sozinha, tem a questão da balança e de estar sempre magra", disse Amanda, 25 anos, que recebeu o UOL Moda, nesta quarta-feira (28), para um bate-papo em um estúdio em São Paulo, onde fotografava uma campanha para o Inverno 2015, a convite do stylist Luis Fiod, diretor criativo da marca Espaço [antiga Espaço Fashion].

"Começamos a trabalhar muito novas e as meninas ainda não têm maturidade para lidar com isso", acrescenta. “Mas hoje vejo tudo com outros olhos. Consigo encarnar a personagem que o cliente quer com muito mais facilidade, seja sexy, menininha ou dramática. Se tudo isso tivesse acontecido quando eu tinha 15 anos, não sei como eu veria o meu sucesso”,

No topo
Em apenas um ano e meio de projeção internacional, seu currículo foi recheado por campanhas para a própria Gucci e a Calvin Klein Underwear, por desfiles para Chanel, Dolce & Gabbana, Balmain, Fendi e Givenchy, e por ensaios para importantes revistas de moda do mundo. Atualmente, ela é a única brasileira na lista de 50 maiores modelos do mercado, segundo o site Models.com.

Entre os pontos altos da carreira, ela lista ter posado para um ensaio da “Vogue” francesa, dirigido pela editora-chefe da revista, Emmanuelle Alt; posar para a dupla de fotógrafos Mert & Marcus e conhecer Karl Lagerfeld, diretor criativo da Chanel. Apesar do contato com profissionais renomados, Amanda ainda sonha em trabalhar ao lado do fotógrafo Steven Meisel, um dos mais requisitados do momento e amigo da cantora Madonna.

“A partir do momento que você realiza um sonho, outros maiores aparecem. Tenho bastante ambição. Quero trabalhar muito e ser reconhecida. Quero que as pessoas mais admiradas do mundo da moda admirem o meu trabalho, reconheçam o meu esforço, porque não é fácil, não.”

Pé no chão
Além da maturidade adquirida com o passar dos anos, a jovem de olhos verdes credita seu “pé no chão” à presença constante da família em seu dia a dia e ao nascimento do filho Pedro, de dois anos e meio. “Antes, eu não focava muito no meu trabalho. Estava estudando, mais tranquila. Agora, tenho outra motivação, que é ele. Não quero o sucesso pelo meu ego, quero para o meu filho, para dar a ele o melhor que tiver”, diz.

Por isso, o cenário em que gostaria de se ver daqui dez anos pouco diz respeito a realizações profissionais concretas. Amanda quer estar rodeada de filhos. “Amo ser mãe. Tenho planos de ter uns três filhos. Para isso, tenho de trabalhar e ganhar muito dinheiro”, diz, aos risos.

Topo