Moda

PETA vira acionista da Hermès para pedir banimento do uso de peles exóticas

Getty Images
Nesta semana, Jane Birkin havia pedido que a Hermès retirasse seu nome da versão em pele de crocodilo da bolsa Birkin imagem: Getty Images

Do UOL, em São Paulo

O braço americano do PETA, organização que luta pelo tratamento ético dos animais, se tornou acionista da Hermès. A ONG comprou uma única ação para ter acesso a encontros do conselho da grife francesa, de acordo com o site "WWD"

"Como acionista, o PETA vai trabalhar de dentro para exigir o banimento de uso de peles exóticas, incluindo bolsas de couro de crocodilo e pulseiras de relógio feitas de pele de jacaré", falou a diretora Mimi Bekhechi. 

Hermès tradicionalmente faz suas reuniões de acionistas entre maio e junho. O site "WWD" não conseguiu falar com representantes da grife francesa. 

No mês passado, o PETA divulgou vídeos que denunciavam a crueldade no abate de crocodilos e jacarés em duas fazendas fornecedoras da Hermès. Nesta semana, a atriz e cantora Jane Birkin pediu para que a grife retirasse seu nome da versão em pele de crocodilo da bolsa Birkin. A marca francesa respondeu ao apelo dizendo que fará uma investigação nas duas fazendas mostradas nas imagens da ONG e que toma todos os cuidados para fazer um abate ético dos animais. 

Topo