Moda

Modelos de Kanye West não podiam falar sobre cantor sob multa de R$ 38 mi

Getty Images
Kanye West apresentou a segunda coleção da marca Yeezy nesta quarta-feira (16) imagem: Getty Images

Do UOL, em São Paulo

Kanye West mostrou, nesta quarta-feira (16), a segunda coleção de sua marca Yeezy com roupas que pareciam figurinos de "Star Wars", o que a tornou alvo de piadas na internet. O desfile, batizado de Season 2, foi cercado por polêmicas e a mais recente foi um contrato milionários que o cantor fez seus modelos assinarem. De acordo com o documento, o elenco não podia falar sobre ele e nem sobre nenhum integrante da família Kardashian sob multa de R$ 38 milhões. As informações são do tabloide "The Mirror". 

O contrato dava conta de que o modelo que desobedesse a restrição deveria pagar US$ 10 milhões ao rapper. Uma fonte do jornal britânico disse que o acordo irritou pessoas do elenco da marca. "Alguns modelos acharam ridículos e se negaram a assinar", comentou o observador. "O documento é completamente sem noção, mas este é Kanye". 

O rapper também irritou designers da Semana de Moda de Nova York por marcar seu desfile de última hora. Segundo os artistas, esta foi uma jogada do cantor para roubar a atenção de outros estilistas. 

Tudo isso aconteceu alguns dias depois do cantor anunciar uma improvável candidatura à presidência, em 2020, no tapete vermelho do Video Music Awards 2015, da MTV. 

O desfile
A mulher do cantor e estrela de reality show, Kim Kardashian,  e sua filha de 2 anos, North - que chorava durante o desfile do pai - estavam na primeira fila do desfile de Yeezy, entre a editora da revista "Vogue" Anna Wintour e o diretor criativo da Givenchy, Riccardo Tisci.

O rapper canadense Drake, que apareceu afetuoso com Serena Williams nos bastidores do desfile da tenista na terça-feira (15), também esteve no público, enquanto a cunhada de Kanye, Kylie Jenner, foi uma das modelos que desfilaram na passarela.

Mas não foi um desfile clássico. Ao contrário, modelos marchavam em formação militar em silêncio absoluto, além de um oficial gritando ordens para elas andarem ou virarem. Kanye West revisitou collants, bodies, e meias-calça que caracterizaram a primeira estação de sua linha - patrocinada pela Adidas - e ainda não disponível nas lojas de varejo.

As mulheres Yeezy do Verão 2016 são figuras andróginas equipadas com botas de combate cinza, collants cavados, combinando meias-calça e longas túnicas masculinas e jaquetas de estilo militar. Bonés e moletons marcaram presença. Os cabelos eram penteados para trás e a maquiagem tinha os olhos carregados. Sob a faixa de iluminação, os tons do deserto - verde, laranja, amarelo e bronze - apareciam translúcidos e muito pálidos.

Para os homens, longos sobretudos pretos e cinzas, que pareciam casacos da Primeira Guerra Mundial, com mais botas de combate. Foi um desfile com atitude e pretensão, propondo ser subversivo. Um modelo na passarela parecia fumar um cigarro, apesar das restrições ao fumo em Nova York. Nas redes sociais, muitos foram rápidos em baixar a nova música de West, "Fade", lançada no final do desfile, como o principal destaque.

O rapper-estilista então entrou com uma camiseta e caminhou pelo casting de modelos com diversidade étnica para sorrir e posar. O seleto grupo de expectadores foi convidado com camisetas camufladas embaladas a vácuo. Para os outros mortais, desfile foi transmitido ao vivo em cinemas de 36 cidades ao redor do mundo, incluindo países como Inglaterra, Irlanda, Dinamarca e França.

(Com AFP)

Topo