Moda

Mais refinadas, plataformas voltam em versão repaginada para o verão

Marcelo Testoni

Colaboração para o UOL, em São Paulo

Febre no verão passado, as plataformas voltaram com força neste inverno e prometem repetir o sucesso no começo do ano que vem. A novidade se concentra, principalmente, na oferta de cores e estampas alegres, que deixaram de ser exclusivas da temporada mais quente do ano e agora também mostram as caras nos dias frios. As estações se fundiram, mas a moda ainda manda! Se no calor prevalecem os solados de corda, ráfia e juta, no inverno a camurça e o couro mostram que fazem um show. Figuraram até as badaladas coleções de marcas gringas, como Yves Saint Laurent, Christian Louboutin e Vivienne Westwood.

História

“Kothorni”, como eram chamadas na Grécia e na Roma antigas, as primeiras plataformas surgiram como coturnos com solas de madeira ou de cortiça, que sinalizavam a diferença de status entre as classes sociais. "Foram as grandes precursoras do salto alto e tanto homens como mulheres as usavam para se manter livres da sujeira das calçadas da época", explica a consultora de moda Carla Campos. Há também registros do período do Renascimento que mencionam plataformas sendo desfiladas nas ruas alagadas de Veneza, antes de virarem alvos de leis de austeridade.  

Na atualidade, o modelo foi reinterpretado pelo designer de sapatos Salvatore Ferragamo, em 1938. A cantora Carmen Miranda, que era baixinha, não aparecia nas telas sem um par e, nos anos 1970, a plataforma atingiu seu ápice, combinada com vestidos soltinhos, batas e calças boca de sino coloridas. Como o solado grosso deixava os pés confortáveis e o andar estável, nas pistas das discotecas o reinado era dela.

Raio-X da peça

Sandálias do tipo plataforma apresentam, geralmente, solados com 6 centímetros de altura, que podem se estender, por inteiro, sob a planta dos pés, ou se dividir entre salto e meia pata. "Além de garantir equilíbrio e deixar panturrilhas durinhas e pernas torneadas, alguns modelos feitos de camurça, couro e com elastano na composição são mais maleáveis e permitem modelagens funcionais”, comenta Carla. Segundo ela, esse tipo de calçado também pode apresentar algumas desvantagens, se o uso for contínuo. Os problemas mais notáveis são dores e lesões nos calcanhares e tornozelos e também inflamações nos dedos e tendões dos pés.

No dia a dia

Para o inverno, as plataformas ficam ótimas com peças compridas e de caimento mais ajustado ao corpo. “Gosto muito de combiná-las com calças jeans sequinhas até os joelhos e que se abrem enviesadas, à medida que se aproximam do chão”, explica a consultora. Uma dica para criar um visual mais longilíneo é usar as plataformas com saias retas e de cintura alta, evitando cortes na silhueta e criando um efeito alongado. “O ideal, para não deixar a produção pesada, é evitar combinações com meias-calças e peças feitas de tecidos com texturas, pois a plataforma já chama muita atenção”, aconselha Carla.

No verão, podem render uma aparência mais moderna e descontraída quando coordenadas com vestidos fluídos, túnicas e pantalonas de alfaiataria, que sempre estão em alta e criam um contraponto delicado. “Em se tratando de cores e estampas, as apostas são os modelos de tons cítricos, como amarelo e laranja, florais e desenhos geométricos”, afirma Carla.  A cartela em tons mais neutros, como palha, caramelo e marrom remete ao estilo rústico e, por ser mais discreta, acompanha bem desde looks de trabalho a composições multicoloridas. Para limpar e manter o bom estado das solas de ráfia, cordas trançadas ou camurça, esfregue-as com uma borracha escolar.

Topo