Moda

Marca de joias é acusada de retratar mulher como propriedade em propaganda

Divulgação
Conselho Nacional das Mulheres da Nova Zelândia repudiou campanha da marca The Love Ugly imagem: Divulgação

Do UOL, em São Paulo

A The Love Ugly, marca de joias de Nova Zelândia, está passando por controvérsia ao lançar campanha em que mostra as mãos de um homem vestido posando com uma mulher completamente nua. 

Internautas estão usando o Twitter para criticar a propaganda, dizendo que ela objetifica o corpo da mulher ao mostrá-lo como uma propriedade. "Fotos deste tipo são sexistas e misóginas. Homens em posição de controle no corpo de uma mulher", escreveu uma usuária na rede social. 

A própria marca parecia perplexa diante da repercussão de sua propaganda. "Resenhas muito diferentes sobre a nossa nova campanha. Alguns amam, outros odeiam. Se você está nervoso sobre algo, é porque você fez algo bom", escreveu a The Love Ugly no Twitter. 

Em entrevista ao "Buzzfeed News", a presidente do Conselho Nacional das Mulheres da Nova Zelândia, Rae Duff, disse que o órgão está bastante desapontado com a marca. "As imagens promovem dinâmicas de poder inadequadas. Isto reflete em como as mulheres são vistas em nossa sociedade apenas como meros objetos sexuais e alimenta a cultura de abuso e violência contra a mulher". A The Love Ugly não fez nenhum comentário. 

Divulgação
Campanha está sendo criticada por internautas, que dizem que ela promove a objetificação do corpo da mulher imagem: Divulgação

Divulgação
De acordo com críticos, as fotos promovem a ideia de que "mulheres são meros objetos sexuais" imagem: Divulgação

Divulgação
De acordo com críticos, as fotos promovem a ideia de que "mulheres são meros objetos sexuais" imagem: Divulgação
Topo