SPFW

"Eu me sinto representada na moda", diz modelo trans em estreia na SPFW

Alexandre Schneider/UOL
A manauara Camila Ribeiro vai entrar no desfile de Ronaldo Fraga, À La Garçonne e Triya imagem: Alexandre Schneider/UOL

Juliana Simon

Do UOL, em São Paulo

Camila Ribeiro, modelo transgênero que conquistou a Givenchy, trabalha no mundo da moda há três anos, mas esta é a primeira vez que ela participa da São Paulo Fashion Week, cuja edição N41 acontece até sexta-feira (29). E a manauara de 24 anos vai estrear de forma marcante no desfile do estilista Ronaldo Fraga nesta segunda-feira (25), com look transparente bastante revelador que deixa os seios expostos. "Não sinto me sinto desconfortável em mostrar meu corpo", comentou em entrevista ao UOL Moda, enquanto usava o visual com aplicações em flores azul.

Apesar de fazer parte de uma minoria ainda muito marginalizada na sociedade, Camila contou que não se sente diferente das modelos cisgêneros (que se identificam com gênero que foi designado no nascimento). "Hoje eu me sinto parte da passarela e representada na moda", falou sorrindo, enquanto mostrava a beleza do desfile do estilista mineiro. "Não sinto preconceito e, se algum dia fui alvo de algum tipo, eu preferi esquecer", completou. 

Camila pode até ser novata na SPFW, mas ela já passou pela Casa dos Criadores e pela extinta Fashion Rio. Formada em Design, a jovem se tornou modelo após posar para as fotos do trabalho de conclusão de curso de um amigo. Ao passar três meses em Nova York trabalhando em showrooms, ela conquistou, ainda, o posto de manequim de cabine da grife Givenchy, em que participava de desfiles fechados para compradores. 

Nesta edição do evento de moda paulistano, ela ainda integra os castings das grifes À La Garçonne e Triya.

 

Topo