Moda

Marca fitness de Beyoncé é acusada de usar mão de obra escrava

Divulgação
A marca Ivy Park está à venda nas lojas Topshop imagem: Divulgação

Do UOL, em São Paulo

Após "gritar justiça" sobre a opressão à população negra em "Formation", Beyoncé está no centro de uma polêmica envolvendo trabalho escravo. A marca fitness da cantora, Ivy Park, está sendo acusada de ser produzida por mão de obra muito barata. 

De acordo com o jornal "The Sun", a linha, que foi idealizada com Philip Green e vendida nas lojas da Topshop, estaria sendo feita na fábrica MAS Holdings, no Sri Lanka. Um dos funcionários da confecção disse que os trabalhadores recebem US$ 6,17 por dia (cerca de R$ 21,62), enquanto uma legging da Ivy Park custa, por exemplo, US$ 144 (aproximadamente R$ 504).

No país, o salário mínimo é de 400 rúpias por dia (R$ 9,32). No entanto, por mais que os costureiros recebam o dobro disso, o valor é muito baixo se comparado ao de outros países e ao preços pelos quais as peças são vendidas. 

Em comunicado oficial, a Ivy Park disse ao "The Sun" que "tem um programa de negociação ética rigoroso. Estamos orgulhosos dos nossos esforços contínuos em termos de inspeções das fábricas. As nossas equipes em todo o mundo trabalham muito estreitamente com os nossos fornecedores e fábricas pra garantir a conformidade". 

Topo