Moda

"O turbante é uma coroa. O negro sai de baixo e olha de cima", diz Liniker

Juliana Faddul

Colaboração para o UOL, em São Paulo

Liniker passa de forma delicada e precisa um batom verde preenchendo de uma só vez todo o espaço de seus voluptuosos lábios negros. A habilidade nos cuidados estéticos é vista tanto nesse momento de concentração quanto no trançar do turbante na cabeça. “É uma coroa”, comenta à reportagem do UOL, durante a sessão de fotos. “Toda vez em que eu coloco, minha cabeça cresce uns três metros. O negro sai de baixo e olha de cima.”

Sua força cresce ainda mais nos palcos. Destaque no cenário alternativo atual, a cantora tem no currículo o EP “Cru” e vem colecionando apresentações energéticas com um som cheio de referências soul. No visual, brinca com elementos do universo masculino e feminino, compondo produções marcantes e livres dos rótulos de gênero.

Lucas Lima/UOL
Liniker e seu batom verde imagem: Lucas Lima/UOL
Liniker de Barros Ferreira Campos, como registrado na certidão de nascimento, é negra e sabe quão importante é a militância. “A cultura afro é linda, colorida, chama atenção. Mesmo assim precisamos nos colocar na sociedade, lutar pelos nossos direitos duas vezes mais do que uma pessoa branca”, diz, ajeitando as tranças. O batom, o turbante e os maxi acessórios podem até contrastar com a voz baixa no falar e o jeito tímido à primeira vista, mas acompanha as grandes ideias do jovem de 20 anos.

Por mais majestosos que possam parecer, seus “turbantes-coroas” são divididos com outra figura de grandeza: Angela Barros, de 40 anos. “Minha mãe não usava, tinha vergonha. Eu a incentivei”, conta. Angela é a principal responsável pelo estilo cheio de personalidade. “Ela sempre me falou que a gente tinha que ser o que queria ser. Foi que me tornei.”

Certa vez, encontrou um rímel em sua mochila com um bilhetinho deixado por ela. Após o episódio, a cumplicidade só aumentou. “Hoje a gente troca maquiagem, acessórios, tudo. E falamos sobre tudo, desde carreira, até moda e os boys. Ela é minha melhor amiga e minha crítica de moda mais exigente.”

Inclusive, cabe à genitora também o papel de intimidar a filha quando ela pira nos looks, com frases como “está feio, tira”, “usa o vinho, não usa o vermelho” ou “se fica cortando as roupas vai estragar tudo”, que Liniker imita com bom humor.

Mas ainda conta com outros consultores de moda: os fãs. “Recebo muita coisa que eu realmente gosto! Parece que meus fãs conhecem meu gosto”, fala. Durante um show em Pernambuco, recebeu um colar de argila que ao colocar uma essência tem efeitos terapêuticos. Outro foi feito a mão por uma fã especialmente para a cantora.

Embora se julgue bastante consumista, todos os seus acessórios tem uma história. E se não tem, ainda está para ser escrita. “Sou de aquário. A gente é inconstante, gosta de se reinventar”, concluí tirando o batom verde calmamente com um lencinho e passando outro por cima, dessa vez de cor vinho. 

Topo